Se conseguir evitar a queda à Série B do Campeonato Brasileiro neste domingo, o que só acontece vencendo o Palmeiras, às 16h, no Mineirão, e contando com derrota do Ceará para o Botafogo, no Engenhão, no mesmo horário, o Cruzeiro será o pior 16º colocado da história da Série A com 20 clubes, que teve a primeira edição em 2006. É bom lembrar que essa é a primeira posição fora da zona de rebaixamento.

Como só escapa do descenso vencendo, a Raposa, que tem 36 pontos em 37 rodadas, chegará aos 39. O pior 16º colocado nas últimas 13 edições de Brasileirão foi o Palmeiras, em 2014, que marcou 40 pontos.

ArteCLIQUE PARA AMPLIAR

Para aquele ano a marca do rebaixamento é considerada 39 pontos porque o Vitória, que foi o 17º, primeiro dentro da zona de rebaixamento, terminou a Série A com 38.

E a marca da degola é definida pegando-se a pontuação do 17º colocado e acrescentando um ponto.

O Ceará também pode carregar essa marca. E até piorar, pois ele pode se salvar até com uma derrota, portanto mantendo os atuais 38 pontos, desde que o Cruzeiro não vença o Palmeiras no Gigante da Pampulha.

Vitórias

Para não depender do resultado do Mineirão, basta ao Vozão empatar no Rio de Janeiro. Isso o colocaria com 39 pontos, mesma marca que o Cruzeiro pode alcançar caso vença o alviverde paulista. Neste caso, a definição do rebaixado seria no número de vitórias. E a Raposa levaria a pior.

Isso porque foram apenas sete vitórias cruzeirenses até agora, em 37 rodadas. Se ganhar do Palmeiras, chegaria a oito. O Ceará já tem dez.
Aliás, se conseguir chegar à 16ª posição, será a primeira vez que ela será alcançada por um clube com menos de dez vitórias, marca do Vasco no ano passado e a menor desde 2006.

A análise dos números deixa evidente a péssima campanha cruzeirense nesta Série A do Campeonato Brasileiro, e explica o motivo de o clube chega à última rodada com 90,7% de chances de rebaixamento segundo os cálculos do site Probabilidades no Futebol, mantido pelo Departamento de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).