Seis jogadoras de futebol passaram mal durante um jogo do Campeonato Brasileiro na tarde desta quarta-feira (23), no Piauí. O partida foi disputada com temperaturas acima de 40° C. Tiradentes, do Piauí, e Viana, do Maranhão,

entraram em campo no estádio Albertão, às 15h, mas o duelo teve que ser encerrado antes dos 45 minutos do segundo tempo. De acordo com o presidente da Federação do Piauí, Cesarino Oliveira, as atletas, todas do time visitante, desmaiaram durante o confronto. Segundo o dirigente, houve um pedido para a CBF para que o horário fosse trocado, mas não foi atendido.

"Foram seis jogadoras que desmaiaram. A gente havia feito uma solicitação para a CBF, para que o horário fosse trocado, pelo menos para as 18h, mas não nos atenderam. Como era um jogo de classificação, e tinha outro duelo importante no grupo no mesmo horário, eles mantiveram a partida às 15h, infelizmente. Mas houve também, na minha opinião, um problema na preparação do Viana, que viajou no mesmo dia, mais de 400 quilômetros e chegou muito em cima da hora para almoçar", afirmou o cartola à reportagem.

A situação causou revolta na Federação do Maranhão e também na diretoria da equipe. "É um absurdo isso acontecer. Como pode? É de uma irresponsabilidade sem tamanho ter um jogo às 15h no Piauí. Aquele estádio fica parecendo uma frigideira. A gente pediu inúmeras vezes para que houvesse uma troca, mas isso não aconteceu, infelizmente. É desumano", desabafou o presidente da entidade, Antônio Américo.
"O clube agora quer processar a CBF", acrescentou.

O coordenador de futebol feminino da confederação, Marco Aurélio Cunha, alegou que não havia a possibilidade de alterar o horário do jogo.
"Como era uma rodada classificatória, os horários tinham que ser iguais. Existem lugares que anoitecem cedo, para ter luz natural o horário da tarde acaba sendo escolhido. Mas vamos fazer tudo para amenizar os problemas da temperatura. É um país continental, acaba tendo esse tipo de problema. O que é importante dizer é que as equipes têm de estar preparadas para todos os tipos de adversidade. Lamento que alguém tenha sofrido com isso. A gente tem jogos em todas as partes do Brasil, em Chapecó, na Amazônia e em Teresina", explicou.

A reportagem procurou representantes do clube, mas não teve as ligações atendidas. De acordo com o presidente da Comissão Nacional de Médicos da CBF, Jorge Pagura, além do calor, o preparo é determinante para uma situação como essa. "Claro que a temperatura afeta, mas o preparo nesse caso é mais importante. Viajar durante horas no mesmo dia da partida e fazer a refeição pouco tempo antes do jogo não são boas escolhas, não é o mais adequado", disse o médico.

Na súmula da partida, o árbitro registrou que o jogo foi encerrado aos 38 minutos do segundo tempo, por número insuficiente de atletas. "Informo que aos 38 minutos do segundo a partida foi paralisada, para atendimento da atleta nº 09, sra. Flávia Renata Silva do Nascimento, da equipe do esporte clube Viana, quando a referida equipe estava apenas com 7 jogadoras em campo. após 10 minutos fomos informado pelo médico que a referida atleta não tinha condições físicas de retornar ao campo de jogo. dando por encerrada a partida por número insuficiente de atleta".

Veja o vídeo produzido pelo Portal Meio Norte