Na Copa Libertadores, a posição na fase de grupos não determina mais  os confrontos das oitavas de final, que antes tinham o melhor primeiro colocado contra o pior segundo, e assim sucessivamente. Agora, é feito um sorteio com os líderes de chaves em um ponte, e os segundos colocados em outro.

De toda forma, a campanha na fase de grupos é que definirá quem disputará em casa a partida de volta a partir das oitavas de final até a semifinal.
Como este ano a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) introduziu na Copa Libertadores a decisão em partida única, que será disputada em 23 de novembro, no Estádio Nacional, em Santiago, no Chile, a regra não vale para a final.

Assim, o segundo colocado geral da fase de grupos nesta edição de 2019 terá a mesma vantagem do primeiro, pois ambos, caso sigam avançando, decidirão sempre em casa as fases da competição que serão disputadas no sistema de ida e volta (oitavas, quartas e semifinal).

Todo o problema que o Cruzeiro enfrenta relativo ao Deportivo Lara, da Venezuela, vai influenciar, positiva ou negativamente, na campanha do clube, no que se refere ao saldo de gols.

Se o clube venezuelano realmente não vier a Belo Horizonte enfrentar o Cruzeiro, o time de Mano Menezes será declarado vencedor do confronto pelo placar de 3 a 0, como prevê o regulamento da Copa Libertadores, pois um adiamento é muito improvável pelo apertado calendário sul-americano num ano em que haverá a disputa da Copa América, com o Brasil sendo sede.

O Deportivo Lara irá ainda a julgamento no tribunal da Conmebol e pode ser expulso da competição, o que acarretaria mais um 3 a 0 para a Raposa, na partida de volta entre as duas equipes, prevista para 23 de abril, na Venezuela, mas ainda sem local definido na tabela da Libertadores no site da entidade máxima do futebol sul-americano.

Neste caso, o Cruzeiro marcaria seis pontos diante dos venezuelanos e com saldo de seis gols nas duas partidas. É difícil prever o que aconteceria nos dois jogos em relação ao placar.

Histórico

Se for considerado o histórico cruzeirense diante de clubes venezuelanos na Libertadores, pode ser um benefício essa situação.
Em 14 jogos, o Cruzeiro soma 12 vitórias e dois empates, em 2008 e 2010, ambos na Venezuela, onde a Raposa já jogou sete vezes, com cinco vitórias.

Cruzeiro Deportivo Italia Venezuela

Em 2010, o Cruzeiro fez 2 a 0 no Deportivo Itália, da Venezuela, no Mineirão, em jogo válido pela fase de grupos

No Mineirão, o clube tem 100% de aproveitamento sobre venezuelanos, mas nos sete jogos marcou 20 gols, o que dá uma média de 2,85, inferior aos três que "ganhará" caso seja declarado vencedor do confronto da próxima quinta-feira (14) por WO.

De toda forma, numa competição em que o saldo de gols é o primeiro critério de desempate entre os clubes, a aplicação do WO abala a credibilidade.