A seleção feminina de polo aquático do Brasil encerrou nesta segunda-feira a sua participação no Mundial de Esportes Aquáticos, que está sendo realizado em Budapeste, na 14ª colocação. Neste domingo, a equipe perdeu a disputa do 13º lugar para o Japão por 11 a 9.

Para o revés desta segunda-feira, acabou pesando o desempenho ruim no segundo período, quando o Brasil levou seis gols e marcou apenas dois, após terminar o primeiro empatado por 2 a 2. Diana Abla foi a artilheira do Brasil na partida, com quatro gols marcados, assim como a japonesa Chiaki Sakanoue.

"No começo entramos um pouco lentas, dispersas, e tomamos muito contra ataque e no final do jogo corremos atrás, mas não foi suficiente. Esse é meu segundo Mundial e foi bem legal, a estrutura é bem profissional. É ruim perder para o Japão, um time que a gente ganhava, parece que voltamos um degrau, mas o time é bem novo, com meninas de 16 anos, e temos muito o que aprender", analisou Mariana Duarte.

Com o resultado, a seleção feminina de polo aquático do Brasil fechou o Mundial com quatro derrotas e uma vitória. A equipe perdeu para China (11 a 4), Itália (18 a 4) e Canadá (16 a 6), além do Japão. Já o único triunfo foi sobre a África do Sul.

"No começo ficamos confusos com a marcação deles, não deveríamos porque estávamos preparados. Depois conseguimos uma reação, mas não conseguimos manter. Com 15 dias de treinamento faltou fôlego no fim, mas elas brigaram até o final, o que me deixou mais animado. Agora temos que trabalhar", comentou o treinador do Brasil, Eduardo Abla.