A primeira fase da Copa do Mundo da Rússia, encerrada nessa quinta-feira (28), com a definição dos grupos G e H, evidenciou o alto nível de competitividade das seleções.

As duas primeiras rodadas do torneio definiram as seis primeiras equipes classificadas para as oitavas de final, e os oito países eliminados precocemente da competição.

Entretanto, engana-se quem acha que os times que não tinham mais chances de avançar de fase seriam presas fáceis para os adversários nos últimos jogos da primeira parte do Mundial.

Além de encerrar a Copa com vitórias, ou boas atuações, algumas seleções já desclassificadas interferiram diretamente na classificação final dos grupos.

Entre os times que chegaram ao último jogo da chave na condição de eliminados, quatro conseguiram vencer, outros dois empataram, e apenas dois foram derrotados, deixando a competição sem pontuar.

Os casos mais emblemáticos foram o do Peru e o da Polônia. Jogando em Sochi, a equipe sul-americana venceu a Austrália por 2 a 0, acabando com qualquer chance de o adversário avançar na competição. Dinamarca e França, que empataram em a 0 a 0, avançaram no grupo C.

Já a Polônia, que também vinha de dois revezes nos primeiros jogos do Mundial, quase complicou a vida do Japão. Em Volgogrado, o time do atacante Robert Lewandowski bateu os asiáticos por 1 a 0.

Espanha

Espanha encontrou muitas dificuldades no duelo com o já eliminado Marrocos

Os japoneses não foram eliminados por pouco. Empatados em pontos, saldo de gols e gols marcados com Senegal, o Japão se classificou pelo critério disciplinar, calculado a partir do número de cartões amarelos e vermelhos que cada Seleção recebeu. A Colômbia liderou a chave com seis pontos. 

Quem também engrossou para cima de um favorito ao título foi o Marrocos. Sem chance de classificação no terceiro jogo, os africanos foram para cima da Espanha, e arrancaram um empate em 2 a 2, em Kaliningrado, colocando em risco a classificação dos campeões de 2010. O outro classificado foi Portugal, que suou para empatar com o Iran. 

Outro país que quase interferiu na classificação final de uma chave foi a Costa Rica. No encerramento do grupo E, o do Brasil, o país da América Central empatou em 2 a 2 com a Suíça, em Níjni Novgorod, criando dificuldades para os suíços, que avançaram na segunda posição.

Consolação

 As outras quatro seleções que chegaram eliminadas na última fase fizeram dois confrontos diretos em busca da primeira vitória do torneio.

Em Volgogrado, a Arábia Saudita venceu o Egito por 2 a 1, de virada, e encerrou sua participação no Mundial com três pontos. Já o time do atacante Mohamed Salah voltou para casa zerada no torneio.

Pelo grupo H, a Tunísia bateu o Panamá por 2 a 1, também de virada, em Samara, e encerrou o tabu de 40 anos sem vencer em Copas do Mundo.

Menção honrosa

Outro jogo que chamou à atenção na rodada final da Copa foi Coréia do Sul e Alemanha. Apesar de ainda ter chances matemáticas de avançar de fase, os asiáticos eram considerados azarões contra os atuais campeões mundias. 

Bastava uma vitória simples para os comandados de Joachim Löw se classificassem para as oitavas de final do Mundial. Para os coreanos, além do triunfo, era necessário que o já classificado México vencesse a Suécia no outro duelo do grupo F.

Entretanto, contrariando os prognósticos, os valentes coreanos venceram por 2 a 0, em Kazan, decretando a inesperada eliminação dos europeus. Suécia e México garantiram as vagas do grupo.