A derrota de 4 a 2 para o Tricordiano na última rodada da primeira fase do Campeonato Mineiro definiu que Diego Aguirre teria vida curta no Atlético. Demitido horas após a eliminação do Galo na Libertadores em casa, o uruguaio já tem um substituto eleito pela diretoria: Marcelo Oliveira.

O bicampeão brasileiro pelo Cruzeiro, em 2013 e 2014, que iniciou a carreira de jogador e treinador justamente no Atlético, está desempregado desde que saiu do Palmeiras, em 10 de março. Ele foi sondado pelo alvinegro logo após aquela derrota para o time de Três Corações. E deverá ser anunciado como novo treinador do Galo, vencendo uma resistência interna que começou em 2008, quando foi demitido pelo recém-eleito presidente Alexandre Kalil.

“O Marcelo é um profissional sério, uma ótima pessoa, mas não acompanha o perfil do presidente do Atlético”, afirmou Kalil, no momento em que Marcelo deixou o Galo após cinco anos e oito meses na função de treinador da base e técnico interino.

O tropeço no Independência, para o modesto Tricordiano, teve um efeito avassalador no clube. Nepomuceno cobrou publicamente o trabalho de Aguirre e condenou o rodízio adotado pelo ex-comandante. Ele chegou a entregar o cargo, conforme revelou na despedida.

“É um momento esportivo difícil para o clube e é bom aliviar um pouco os jogadores e o presidente. Na semana seguinte depois de passar na fase de grupos da Libertadores, falei para o Daniel que eu queria ir embora. Ele me pediu para ficar e disputar as oitavas contra o Racing”, afirmou Aguirre, que poderia rescindir o contrato a qualquer momento.

Proposta do exterior

Quando foi procurado pelo Cruzeiro para substituir Deivid, Marcelo disse que não poderia retornar à Toca II por ter um compromisso firmado com empresários de ir trabalhar fora do Brasil. Mas não há avanço nas tratativas envolvendo o futebol de mercados emergentes e o treinador já trabalha há dias com a ideia de ficar no Brasil.

“O Cruzeiro me procurou e eu não estava disponível, pois tinha assumido o compromisso com dois empresários, que negociavam comigo no futebol da China e dos Emirados Árabes. Esta coisa está desenrolando e não sabe se irá concretizar ou não”, explicou Oliveira, ao Fox Sports.

Enquanto Marcelo não acerta o retorno ao Atlético, o time alvinegro será comandado pelo coordenador técnico Carlinhos Neves. Lucas Pratto, Léo Silva e Robinho, com dor muscular, serão desfalques para encarar o Atlético-PR, domingo, em Curitiba.