Que a saída de Vagner Mancini no São Paulo foi conturbada, não é segredo para ninguém. Contudo, para o técnico do Atlético, que enfrentará o Tricolor neste domingo (27), não haverá qualquer clima de revanche na partida válida pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro.

"O que aconteceu no São Paulo foi um momento em que as coisas não foram bem conduzidas, mas isso não gerou, de forma alguma, desgaste com a diretoria. Fui muito bem tratado lá. Durante nove meses, tive boas condições para fazer meu papel na coordenação. Hoje estou no Atlético, mas vou defender as cores do clube nem que eu tenha que suar sangue para isso", comenta o treinador atleticano.

Vagner Mancini

Sobre o time que enfrentará os paulistas, às 16h, no Morumbi, Mancini faz mistério e diz que ainda não definiu a composição do meio de campo. Certa, por enquanto, é a presença de Réver, mais uma vez improvisado como volante.

"Testei o Zé Welison, assim como vou treinar outros atletas, porque tenho hoje (sexta) e amanhã (sábado) de treinamento. Isso é bom porque vai me dar a convicção de que a escolha foi a certa. E Isso gera uma competição sadia", faz mistério o comandante alvinegro.

"A partir do momento em que estou num clube da grandeza do Atlético, não posso ficar me moldando pelas características dos outros times", finaliza o técnico, que busca a vitória de número 70 na Série A. Para ele, a mais importante até aqui.

Na 12ª colocação do Brasileiro, com 35 pontos, o Atlético terá pela frente o quarto colocado, que conquistou 46 pontos até o momento.