Um dia depois da derrota por 1 a 0 para o Oeste, na última quarta-feira (13), no Independência, a diretoria do Cruzeiro se reuniu com o elenco e a comissão técnica celestes. Um dos assuntos abordados foi a questão do atraso de salários (quase três meses mais o 13º).

O técnico Luiz Felipe Scolari esteve presente na ocasião, mas preferiu não comentar a respeito, após mais um revés da Raposa, nesse sábado (16), para o Juventude, no Alfredo Jaconi.

"Sobre essa situação, eu não posso colocar minha opinião nem a de ninguém. Tenho minha perspectiva. O que ouvi, vou examinar e entender de um jeito ou de outro. A (opinião) dos jogadores, não tenho o que dizer", limitou-se a comentar.

Com relação ao restante da semana de preparação para o confronto com o time de Caxias do Sul, ele acredita que o trabalho foi bem feito, mas a execução não seguiu o script.

"Fizemos o trabalho com afinco, correção, ensinamentos. Talvez os ensinamentos não são captados por um ou dois jogadores e acontece um erro. Tivemos um deslize pelo lado esquerdo e tomamos o gol (referindo-se ao pênalti cometido por Matheus Pereira). Não estou entregando nada, não estou fazendo nada diferente do que fazia, mas tentando acrescentar algo a esses jogadores", disse.

O Cruzeiro tem ainda três partidas até o fechamento do torneio. Na próxima quarta (20), às 21h30, a Raposa encara o Operário-PR, no Independência, mesmo local da partida do dia 24, às 16h, ante o Náutico. E no dia 30, às 16h30, os celestes se despedem desta edição contra o Paraná, no Durival Britto.

Cruzeiro