Com a experiência de ter participado de apenas um treino pela Fórmula 1 no Autódromo de Interlagos, Felipe Nasr aproveitou as duas primeiras sessões livres do GP do Brasil para ganhar rodagem no traçado paulistano. Foram 44 voltas no circuito, somente no segundo treino do dia - foi o terceiro piloto que mais tempo permaneceu na pista nesta sessão.

"Isso foi muito importante porque eu tenho pouca experiência em Interlagos. Precisava entender melhor a pista, saber onde posicionar o carro", afirmou o brasileiro da Sauber. As voltas do período da tarde compensaram o menor tempo de pista pela manhã. "Queria recuperar o tempo da manhã, mais dedicada a coletar informação da parte aerodinâmica."

No segundo treino, Nasr fez sequências mais demoradas no traçado, a chamada "long run". "Fiz uma saída mais longa, com bastante combustível para ver o comportamento do carro. Deu para ver que estava bem", avaliou o brasileiro. "Mas ainda vamos entender o que podemos melhorar. Tem mudanças a fazer."

Além de buscar boa quilometragem no traçado, Nasr também se preocupou em cuidar dos pneus. No início do dia, muitos pilotos, incluindo os experientes Sebastian Vettel e Felipe Massa, derraparam na pista. Nasr não foi um deles. "Hoje isso foi bem comum mesmo. Muita gente com problema nos pneus traseiros. Estão todos trabalhando nisso agora", comentou.

Confiando nos ajustes da Sauber, o brasileiro diz preferir correr no seco, apesar das possibilidades de chuva na corrida de domingo, em São Paulo. "Do jeito que está, está legal. Sabemos onde podemos melhorar o equilíbrio do carro. Se continuar nessa sequência, dá para ter um bom final de semana", projetou o piloto, que foi o 14º e o 13º mais rápido nas duas sessões desta sexta-feira.

Para ter "um bom final de semana", Nasr também conta com o apoio da torcida. "Estou me sentindo em casa, estou bem à vontade. Já consigo sentir a energia da torcida", disse o piloto, que disputa sua primeira temporada pela Fórmula 1.