carlos sanchez, lucas verissimo, everson, santos, eduardo sasha

A chegada de Alexandre Mattos à diretoria de futebol e de Jorge Sampaoli ao comando técnico do Atlético tenta mudar o patamar do time. A lista de reforços recomendada pelo argentino é uma missão importante para o novo responsável por buscar as contratações, que tem alguns nomes do Santos no radar. 

Após "namorar" o venezuelano Soteldo, o Atlético direciona o seu radar pra outros atletas santistas e a explicação é simples: jogadores se destacaram sob o comando do próprio Sampaoli, que deseja agora trazer alguns deles para Minas Gerais. Alguns nomes, como por exemplo, o do goleiro Everson, do meia uruguaio Carlos Sánchez, do zagueiro Lucas Veríssimo e do atacante Eduardo Sasha agradam ao treinador. 
Apesar de não confirmar proposta pelo quarteto, o presidente atleticano fez questão de elogiar os jogadores. 

“Os atletas (goleiro Everson, meia Sánchez, zagueiro Lucas Veríssimo e atacante Eduardo Sasha) são atletas diferenciados, que caberiam em qualquer clube como titulares. Dizer que estamos contratando ou fazendo proposta, a diferença é grande. Pode ter tido algum tipo de sondagem por parte do Alexandre (Mattos), mas dentro daquela linha, só fazendo sondagens, não só de atletas do Santos como de outros clubes”, disse Sérgio Sette Câmara ao canal de TV por assinatura Fox Sports.

O interesse por santistas não é novidade. Ainda com o venezuelano Rafael Dudamel no comando atleticano, o compatriota do ex-treinador Yeferson Soteldo era um dos pretendidos. Apesar da tentativa milionária a que se dispôs, o Atlético não conseguiu tirar o meia do Santos. 

“A única coisa que posso garantir é que foi feita uma proposta pelo Soteldo. Vi que o presidente do Santos (José Carlos Peres) até ficou um tanto quanto chateado, mas nós fizemos tudo pelas linhas mais corretas possíveis. Foi encaminhada uma proposta, por escrito, a ele e ao Thomas, o diretor de futebol (do Santos), como deve ser. Fiquei até um pouco surpreso com a forma como ele reagiu, porque com certeza ele deve ter recebido uma similar, na época que o Flamengo, por exemplo, contratou o Bruno Henrique. Porque assim é, o clube faz uma proposta por escrito para o outro clube e ele pode dizer sim ou não, e não vejo nenhum desrespeito nisso aí”, comentou.