O vazamento de trechos do relatório preliminar da Kroll, empresa contratada pela atual diretoria do Atlético para apurar irregularidades nas últimas gestões, criou um clima conturbado nos bastidores e envolveu nomes importantes.

Além do ex-presidente Alexandre Kalil,  atual vice-presidente Lásaro Cândido e o diretor de comunicação Domênico Bhering tiveram "apurações da empresa" reveladas e jogadas à boca do povo.

Durante entrevista à TV Galo, concedida nesta quinta-feira (29), o presidente Sérgio Sette Câmara comentou o assunto e lamentou o fato.

"A documentação que vazou era um relatório preliminar. A Kroll primeiro faz um levantamento básico em cima da documentação que foi encontrada no clube. O Atlético era muito desorganizado neste aspecto. Após este primeiro relatório, o clube vai tirar aquilo que não faz nenhum sentido; depois, será gerado um final. Lamento que esse tipo de coisa aconteça e estamos buscando apurar o que aconteceu", destacou Câmara.

Leia mais:
Vice do Atlético notifica Kroll por 'vasculhar e-mails pessoais'; empresa rechaça prática apontada

"Essas auditorias não fazem caça às bruxas com quem quer que seja. A questão é aprender com os erros do passado e criar mecanismos de controle dentro do clube. O Atlético de hoje tem uma administração extremamente controlado. Claro, se detectarmos alguma irregularidade, vamos buscar reparações. Sem alarde, são coisas que eu gostaria de fazer dentro de uma linha discreta, para não execrar a imagem de pessoas que prestaram serviços relevantes ao clube e marcaram o nome na história; elas não podem ter os nomes manchados. A gente lamenta, mas, ao mesmo tempo, não pode fazer disso um grande problema. Vida que segue e vamos concentrar no futebol", acrescentou.

Confira a entrevista completa: