Bósnia Herzegovina e Irlanda foram prejudicadas por uma intensa neblina, mas nem isso explica o fraquíssimo futebol apresentado durante quase toda a partida desta sexta-feira (13). As seleções deixaram as emoções para os 10 minutos finais, quando marcaram os gols do empate por 1 a 1. Melhor para os irlandeses, que atuavam fora de casa, em Zenica, e largaram em vantagem na repescagem das Eliminatórias para a Eurocopa do ano que vem.

Com o gol marcado fora de casa, a Irlanda pode até ficar no empate sem gols na volta, na segunda-feira, em Dublin, para avançar. Já a Bósnia precisará vencer ou empatar por pelo menos 2 a 2 se quiser garantir a passagem para a França e disputar a primeira Eurocopa de sua história.

O confronto desta sexta foi bastante brigado desde o início, com muita marcação de ambos os lados e disputa no meio de campo. A posse de bola era toda da Bósnia, que, no entanto, parava na retranca adversária e pouco criava. A primeira chance saiu somente aos 21 minutos, quando Ibisevic recebeu cruzamento da direita e emendou de direita, na rede pelo lado de fora.

O tempo foi passando e o cenário era o mesmo. Talvez com medo de sofrer gols em casa, a Bósnia pouco se arriscava no ataque, tornando a superioridade na posse de bola inoperante. E foi assim que começou também a segunda etapa, mas com uma diferença: a neblina havia tomado conta do estádio Bilino Polje, atrapalhando a visão dos jogadores.

O que também mudou foi a postura da Irlanda, que passou a procurar um pouco mais o jogo e deixou a retranca. Se não criava muito, ao menos equilibrou a posse de bola, e foi premiada por isso aos 36 minutos. Brady recebeu em velocidade pela direita, cortou para a perna esquerda e bateu firme, abrindo o placar.

O gol fez os bósnios finalmente irem ao ataque, e não demorou para que os donos da casa selassem a igualdade. Aos 39, Vranjes avançou pelo lado direito e cruzou rasteiro. A bola passou pela primeira trave e chegou a Dzeko, que aproveitou o cochilo do zagueiro para tocar para a rede.