No Brasileirão de 2019, ninguém segurou o trio Gabigol, Bruno Henrique e Arrascaeta, heróis do título do Flamengo, que também abocanhou o Estadual e a Libertadores – por pouco não levantou a taça do Mundial. Enquanto o centroavante e seu companheiro de ataque foram os dois principais artilheiros da última edição da Série A, com 25 e 21 gols, respectivamente, o uruguaio encerrou o campeonato como maior garçom, com 14 assistências. Porém, a história agora é outra. Individualmente falando – uma vez que o rubro-negro segue como um dos favoritos em todas as competições que disputa –, os três atletas vêm sendo apenas coadjuvantes na competição nacional em 2020.

O protagonismo deste Brasileirão se concentra em três outras figuras, que iniciaram o torneio sem tantos holofotes, mas que, por enquanto, dominam as estatísticas e chamam atenção pelo elevado poder de decisão: o atleticano Keno (31 anos), o colorado Thiago Galhardo (31) e o santista Marinho (30). 

Futebol

Keno, Marinho e Galhardo lideram as principais estatísticas de ataque da Série A

Esses três jogadores, todos na faixa dos 30 anos, estão no pódio da lista de goleadores da Primeira Divisão. Galhardo aparece no topo, com 13 bolas na rede, seguido por Marinho, vice-artilheiro, com três gols a menos. Keno, por sua vez, corre por fora nesta briga, com oito tentos.

No quesito assistências, ninguém supera o jogador do Peixe, autor de quatro passes para gol. Logo atrás, aparece o atacante do Internacional, com três assistências. Com duas, Keno não figura entre os maiores garçons do Brasileiro. Por outro lado, é o atleta que mais tenta furar o bloqueio dos adversários, sendo o líder de chutes a gol, com 34 tentativas, uma a mais que Marinho, segundo colocado.

Sem muita badalação no início, se comparado à trinca flamenguista, esse trio vem sendo crucial para as campanhas de suas equipes. Keno é peça-chave no esquema de Jorge Sampaoli, técnico do melhor time das 15 primeiras rodadas do Brasileirão, o Atlético. Os gols de Galhardo têm ajudado o Inter a ocupar a segunda posição, enquanto os números de Marinho fazem do Santos, em sexto lugar, uma das surpresas do torneio.

Daqui para frente, fica a expectativa de quem dará as cartas, se outros nomes vão despontar no campeonato, se o atual trio seguirá firme no topo das estatísticas ou se os flamenguistas voltarão a reinar.