A cobrança por contratações que qualifiquem o elenco para a disputa do Campeonato Brasileiro é quase unânime entre a torcida do América desde o início da temporada. Com a permanência na elite do Brasileirão como principal objetivo do ano, a diretoria e a comissão técnica do Coelho se mobilizaram para reforçar o elenco.

Até o momento, dez jogadores foram contratados para encorpar o plantel comandado pelo técnico Lisca: o zagueiro Ricardo Silva, os laterais Marlon e Eduardo, o volante Juninho Valoura, os meias Ramon e Bruno Nazário, e os atacantes Ribamar, Luiz Fernando, Leandro Carvalho e Yan Sasse. Entretanto, apenas Nazário conseguiu uma sequência no time titular. 

Durante os jogos, o comandante americano também viu os suplentes pouco alterarem o panorama das partidas, o que novamente evidenciou a necessidade de o América ir ao mercado.

Ausências recorrentes por questões médicas, físicas e disciplinares acentuaram os problemas do Alviverde, que encontrou dificuldades em alguns jogos do Campeonato Mineiro e da Copa do Brasil.

Entretanto, na vitória de virada por 2 a 1 sobre o Cruzeiro, no jogo de ida da semifinal do Mineiro, no último domingo, no Mineirão, o banco de reservas do América fez a diferença.

Acionados no segundo tempo, os atacantes Leandro Carvalho e Ademir foram decisivos para o triunfo do Coelho, e deram a indicação que podem aumentar o leque de opções de Lisca.

O primeiro contribuiu com duas assistências, enquanto o Fumacinha fez o gol da vitória.

Leandro Carvalho

Contratado no início da temporada junto ao Ceará, Leandro Carvalho teve várias dificuldades na adaptação ao Alviverde. De cara, foi contaminado pelo coronavírus, sentindo consequências da doença em seu desempenho mesmo após a cura.

Atuações apagadas fizeram com que o jogador perdesse espaço no time, sendo pouco acionado nos últimos jogos, alterando o cenário apenas diante da Raposa. 

De olho em um lugar na equipe e motivado com seu melhor jogo com a camisa do Coelho, Leandro comentou sobre a concorrência e a quantidade de opções no elenco do alviverde.

"Todos nós jogadores queremos ser titulares. Com a qualidade que o elenco do América tem hoje, não tem um time titular, tem um grupo titular. Às vezes, quem resolve o jogo é que sai do banco. Então, eu vejo que o grupo é muito forte e tem muitas opções para conquistar os objetivos da temporada", disse Carvalho, em entrevista às mídias oficiais do clube, na última segunda-feira.

Ademir

Personagem de polêmicas envolvendo uma negociação frustrada com o Palmeiras, com direito a uma recusa em acompanhar a delegação em um duelo pela Copa do Brasil e cobranças públicas da diretoria, Ademir luta para recuperar espaço no América.

Reintegrado, o atacante perdeu a posição de titular na equipe para Bruno Nazário, em razão de repetidas atuações discretas.

Protagonista da vitória no clássico, o Fumacinha, agora oficialmente com as tratativas encerradas com o time paulista, foi elogiado publicamente por Lisca, que indicou, inclusive, a possibilidade de o jogador retornar ao onze inicial em breve.

“O Ademir é um jogador que a cada vez mais está se reintegrando ao nosso plantel. Esse gol foi fundamental, dá confiança para ele e para o grupo em cima de todas as situações que aconteceram. O Ademir é jogador do América, bem integrado. Como todos os jogadores de futebol, o mercado está aí. Quem quiser comprar o Ademir, é o preço que o América estipula e, se não tiver, o Ademir está jogando com a gente. (Ele tem) Muitas boas chances de retornar a equipe titular em breve. Talvez já para a próxima partida”, disse o treinador.

Com Ademir e Leandro Carvalho de olho em uma vaga, o trio ofensivo do Coelho atualmente é formado por Bruno Nazário, Felipe Azevedo e Rodolfo.

Com tal interrogação no ataque, o América entrará para o segundo jogo do confronto com a Raposa, marcado para o próximo domingo (9), às 16h, no Mineirão, podendo perder até por um gol de diferença para garantir um lugar na decisão do Estadual.