É voz corrente na Fórmula 1 que Lewis Hamilton é psicologicamente bem mais forte do que Nico Rosberg. O inglês, inclusive, já usou várias vezes esse "poder" para minar a confiança do alemão, de quem é companheiro de equipe - mas ambos não morrem de amores um pelo outro. Nas duas últimas temporadas, Hamilton derrubou Rosberg e conquistou dois títulos também por demonstrar uma confiança maior. Mas, pelo menos nesta quinta-feira (12), em Interlagos, a situação se inverteu. Enquanto o tricampeão aparentava abatimento, o outro piloto da Mercedes parecia uma fortaleza.

Rosberg, que ainda luta pelo vice-campeonato - tem 21 pontos a mais que Sebastien Vettel, da Ferrari, com 50 ainda em jogo - estava sorridente, bem humorado, confiante. Disse acreditar amplamente em suas chances de vencer o GP do Brasil, independentemente de Hamilton ou de qualquer outro adversário. "O mais importante para mim é ganhar corridas. E creio que tenho boas chances de vencer aqui."

O alemão explicou que a vitória obtida no GP do México, na etapa anterior à que será realizada em Interlagos, faz crescer ainda mais sua confiança. E aproveitou para cutucar o britânico, que estava visivelmente abatido e pouco à vontade para falar dos problemas que viveu nos últimos dias - teve febre e bateu o carro em Mônaco na segunda-feira, fatos que acabaram atrasando sua chegada ao Brasil para a manhã desta quinta-feira.

Rosberg, aliás, abriu um sorriso irônico ao ser questionado sobre Hamilton. "Ele não falou de seus sentimentos, não sou eu o mais indicado para falar. Só posso garantir que estou bastante motivado para correr em Interlagos, mas comigo mesmo."