A Copa América muda a rotina de Belo Horizonte e, neste domingo (16), "uai" e "sô", expressões bem mineiras, dividiram a atenção com palavras bem hispânicas do tipo: "gracias", "buena sorte" e "mucho gusto" (obrigado, boa sorte e muito prazer, em espanhol). É que a capital de Minas Gerais, sede do jogo entre Uruguai e Equador, recebe uma quantidade considerável de turistas vindos dos países vizinhos.

Caso de Andrés Larrea, de 20 anos, morador da cidade de Bahia de Caraquéz, na Província de Manabí, no Equador. "Conheci vários lugares no Centro de Belo Horizonte, inclusive uma feira de produtos artesanais que tem a cara do Brasil, acho que em uma avenida chamada Afonso Pena", disse Andrés, se referindo à "Feira Hippie", a maior do gênero na América Latina. 

O trio uruguaio Agustín Juncal, 31, Marcel Camejo, 30, e Mariana Vaz, 28, também desfrutou de momentos legais em Belo Horizonte. "Chegamos hoje. Moramos no Rio, eu e o Agustín, e o Marcel mora na Bahia. Os mineiros são muito receptivos, mais do que cariocas e paulistas, e disso a gente gostou bastante. Somos de Montevidéu e gostamos bastante de Belo Horizonte", disse Mariana Vaz, que teve as palavras endossadas pelo amigo Agustín Juncal.

Uruguai e Equador se enfrentam na noite deste domingo, no Mineirão, na estreia das duas seleções no Grupo C da Copa América. 

Leia mais:

Paraguai abre 2 a 0, mas cede empate ao Catar no Maracanã pela Copa América

Na estreia do Mineirão na Copa América, uruguaios e equatorianos confraternizam no Gigante

Daniel Alves critica clubismo da torcida e pede conexão entre público e Seleção