Em uma espécie de presente para a sua torcida no último dia do ano, o Sport anunciou oficialmente neste sábado a renovação do contrato de Diego Souza até o dezembro de 2018. Um dos artilheiros do último Campeonato Brasileiro, com 14 gols, ao lado de Fred (Atlético-MG) e William Pottker (Ponte Preta), o meio-campista assim foi garantido pelo clube de Recife para 2017 após ter se tornado naturalmente um alvo de outros times que almejaram a contratação do experiente jogador de 31 anos.

"Para fechar o ano com chave de ouro, um presente para a nação rubro-negra: o Embaixador de 87 (ano do título brasileiro que o clube conquistou na mesma temporada em que o Flamengo também foi campeão nacional) está de contrato renovado! Agora, o vínculo do artilheiro do Campeonato Brasileiro de 2016 com o Leão vai até dezembro de 2018. Na Ilha do Retiro desde o meio de 2014, o meia já vai para a sua quarta temporada vestindo a camisa rubro-negra", comemorou o Sport ao anunciar a renovação do contrato por meio de um comunicado no qual chamou o jogador de "destruidor de recordes".

Ao enumerar os feitos de Diego Souza pelo Sport, o clube lembrou, entre outras coisas, que o atleta igualou a marca de Luis Carlos, que atuou pelo time pernambucano em 1985, com o jogador com maior número de gols pela equipe em uma única edição do Brasileirão.

Em seguida, o Sport destacou: "Em 46 anos de Série A, Diego Souza é apenas o terceiro meia a conseguir ser artilheiro da competição. Além dele, apenas Zico e Rodrigo Fabri alcançaram o feito. Apenas três atletas conseguiram ser artilheiros do Campeonato Brasileiro atuando em clubes nordestinos: Rámon, do Santa Cruz (1973), Charles, do Bahia (1990), e Diego Souza (2016). Em 2015, Diego Souza participou da melhor campanha da história do clube na era dos pontos corridos, atingindo um recorde também em sequência de invencibilidade, com 14 jogos sem perder, superando a marca de 1975".

Revelado pelo Fluminense, Diego Souza também vestiu as camisas de Benfica, Flamengo, Grêmio, Palmeiras, Atlético-MG, Vasco, Al-Ittihad, Cruzeiro e Metalist, da Ucrânia, este último que emprestou o meio-campista para uma primeira passagem pelo Sport entre 2014 e 2015. Depois disso, ele retornou ao Fluminense para uma rápida e frustrante passagem de apenas nove jogos e quatro gols pelo clube carioca. Em seguida, o meia voltou ao Sport em 2016 e se firmou como principal nome da equipe pernambucana.