O investimento do Sport foi premiado. A equipe pernambucana venceu Americana por 62 a 57, neste sábado (6), no ginásio da Ilha do Retiro, em Recife, fechou a série final - havia vencido por 54 a 44 no primeiro jogo - em 2 a 0 e conquistou o título da Liga de Basquete Feminino.

É a primeira vez na história do torneio nacional feminino que uma equipe da região Nordeste é campeã. O Sport também levou o troféu de maneira invicta, igualando o feito de Ourinhos, que havia sido o primeiro time a conquistar o título sem derrotas, em 2005.

O jogo começou equilibrado. As duas equipes trabalhavam coletivamente com inteligência, buscando sempre uma companheira melhor posicionada para definir o lance. Empurrado pela torcida, que lotou o ginásio da Ilha do Retiro, o Sport aumentou o ritmo, apertou na marcação, o que provocou alguns erros do adversário e, após um início parelho, abriu vantagem.

O técnico Luiz Zanon percebeu o momento difícil de sua equipe, pediu um tempo e colocou Karla Costa em quadra. A jogadora, que havia sido preservada por causa de um problema no joelho direito, entrou para tentar anular Adrianinha. Americana equilibrou novamente o jogo, fechando o primeiro quarto um ponto atrás: 12 a 11.

O time paulista voltou com um ritmo ainda mais forte no segundo quarto. Com uma defesa combativa, Americana não demorou muito para virar o placar. Foi a vez então de o técnico Roberto Dornelas parar o jogo para tentar reencontrar o caminho.

As jogadoras tinham dificuldade para se manter em pé. O forte calor no ginásio deixava o piso molhado, provocando escorregões e desperdícios de bola.

O Sport sentiu que precisava colocar mais pressão no jogo para não deixar o rival desgarrar no placar. Érika tratou de dar dois tocos, levantar o torcedor nas arquibancadas e chamá-lo para dentro da quadra. As pernambucanas reagiram, mas foram para o intervalo perdendo por quatro pontos: 21 a 17.

Americana voltou disposta a não deixar o Sport conquistar o título. A equipe paulista acertou duas bolas seguidas de três pontos e, mesmo com uma resposta rápida de Palmira Marçal na mesma moeda, ampliou o placar.

A torcida, mais uma vez, tratou de recolocar o Sport na partida. As pernambucanas se dedicaram mais na defesa, forçaram decisões precipitadas de Americana no ataque e, após passarem à frente no placar, foram para o último período com igualdade no placar: 41 a 41.

Os últimos dez minutos foram emocionantes, com destaque para o duelo dentro do garrafão entre Érika e Clarissa. O Sport foi mais eficiente, contou com boa participação ofensiva de Franciele e uma bola de três pontos decisiva (sua primeira ) de Adrianinha quando o jogo estava equilibrado, para vencer por 62 a 57.