Os superclássicos entre Atlético e Cruzeiro pelas quartas de final da Copa do Brasil podem marcar o reencontro de dois desafetos.

Protagonistas de um lance polêmico, ainda no primeiro tempo do segundo jogo da final do Campeonato Mineiro de 2018, que acabaria com título da Raposa, Otero e Edilson podem voltar a se enfrentar justamente nos duelos decisivos pelo torneio nacional.

No ano passado, quando o time estrelado vencia por 1 a 0, resultado que ainda daria título ao Alvinegro, que ganhou o jogo de ida por 3 a 1, o venezuelano foi expulso após dar uma cotovelada no lateral do Cruzeiro.

Os atleticanos reclamaram que Edilson também merecia ser expulso por ter levantado o pé de maneira excessiva, com a intenção de agredir Otero. Após muita discussão, o árbitro Luiz Flávio de Oliveira optou em punir o jogador da Raposa apenas com um cartão amarelo. (Confira o lance abaixo)

Com um jogador a menos, o Atlético não segurou a pressão da equipe celeste, que marcou o segundo gol e garantiu o título da competição.

Idas e vindas

Em junho de 2018, Otero foi emprestado por um ano ao Al Wehda, da Arábia Saudita, com opção de compra. O time saudita chegou a manifestar o interesse em adquirir o jogador em definitivo, mas recuou. Com isso, o meia venezuelano é aguardado na Cidade do Galo assim que o empréstimo com o Al Wehda se encerrar, no final deste mês.

Como a janela de inscrição de jogadores que jogam no futebol do exterior se abre no próximo dia 20 de junho para os clubes brasileiros, Otero estaria apto para enfrentar o Cruzeiro nos confrontos marcados para os dias 10 e 17 de julho.

Edilson

Em tratamento de um estiramento na panturrilha direita, Edilson desfalcou o Cruzeiro nos últimos duelos do time pelo Campeonato Brasileiro e pela Copa do Brasil.

Com se trata de uma lesão de grau leve e o calendário do futebol brasileiro vai ser paralisado para a disputa da Copa América, a tendência é de que o lateral esteja à disposição do técnico Mano Menezes para os duelos decisivos com o Galo.

Desentendimento

Após a partida da expulsão de Otero, Edilson deu uma polêmica declaração, que levantou uma discussão sobre uma possível atitude xenófoba do lateral cruzeirense.

“Com todos os meus adversários eu chego firme e vai ser assim. Quem é Otero? Otero… seleção venezuelana. Não é p… nenhuma”, disse o atleta em entrevista ao Sportv.

Até o presidente atleticano, Sérgio Sette Câmara, se pronunciou sobre o assunto, criticando as palavras usadas por Edílson para se referir ao jogador do Galo. Após toda a repercussão de sua declaração ao final do clássico, o lateral pediu desculpas ao povo venezuelano, durante entrevista à Rádio Itatiaia.

"Mesmo com a experiência, nunca é tarde para assumir alguns erros. Na saída do jogo, eu falei do Otero e acabei falando também da Venezuela, do país. Queria pedir desculpas a todos os venezuelanos. Não foi a minha intenção machucá-los com palavras. O povo da Venezuela talvez seja muito parecido com o povo brasileiro, um povo muito trabalhador, humilde. Tenho o maior respeito por eles”, declarou o jogador cruzeirense.