O técnico da seleção chilena, Juan Antonio Pizzi, minimizou nesta terça-feira (6) o incidente envolvendo o lateral-esquerdo Eugenio Mena, que foi flagrado dirigindo sob o efeito de álcool e em alta velocidade horas antes de o grupo viajar a Moscou para a disputa da Copa das Confederações.

"Basicamente, isso não afetará nada", disse Pizzi, na Rússia. "Eugenio chegou no horário que nós tínhamos solicitado como seus companheiros, em perfeito estado, assim falaremos internamente sobre algumas coisas", acrescentou.

Mena foi surpreendido pouco antes da meia-noite do último domingo dirigindo a 166km/h em uma área em que o limite era de 120km/h e com 1,16 gramas de álcool por litro de sangue, o que para a lei chilena significa que ele estava embriagado.

Ele foi detido pela polícia nas imediações de Curacaví, a 46 quilômetros de Santiago. O jogador do Sport chegou no segundo grupo que chegou na Rússia nesta terça-feira, diferente do que Pizzi viajou.

O incidente lembrou o que aconteceu com Arturo Vidal, estrela da seleção que em 2015, durante a disputa da Copa América no Chile, se chocou com outro veículo quando dirigia sob efeito de álcool e em excesso de velocidade quando retornava de um cassino nas proximidades de Santiago.

O promotor de Curacaví, Cristián Cáceres, permitiu que Mena viajasse para a Rússia após conversas com o policial que o prendeu e o próprio jogador. "O policial explicou que Mena está no controle de suas ações e bem. Eu, assumindo que pode haver certa permissividade por ser um jogador da seleção, pedi para falar pessoalmente com Mena e confirmar que realmente possui condições de ter uma conversa coerente", disse o promotor ao jornal chileno La Tercera.

Com Mena no grupo, o Chile vai estrear na Copa das Confederações em 18 de junho, contra a seleção de Camarões, em Moscou. Alemanha e Austrália serão seus outros adversários na fase de grupos.