Encontrar o lado positivo em tropeços, às vezes faz parte. No empate do Atlético em 0 a 0 contra o Coimbra, no duelo disputado nesta quarta-feira (29), no Independência, esta ideia serve perfeitamente para o goleiro Michael. Titular absoluto na temporada, o arqueiro de 24 anos segue nas graças do técnico Rafael Dudamel e, após mais um jogo, soma mais de 270 minutos sem ser vazado; isso, desconsiderando os acréscimos.

Acionado para substituir Cleiton, que serve a Seleção Brasileira no Pré-Olímpico e que está de malas prontas para o Red Bull Bragantino - o catarinense foi negociado por mais de R$ 20 milhões e defenderá o time de Bragança Paulista -, Michael conseguiu outra façanha: ele se tornou titular, deixando Victor, o 'dono da posição' entre os reservas.

Recuperado de uma lesão no joelho que o tirou de combate por mais de 160 dias em 2019, o "Santo" dos atleticanos foi relacionado entre os suplentes por não estar 100% fisicamente e, com isso, deu espaço para que o antes terceiro arqueiro do elenco mostrar suas qualidades. Ele (Victor) encerrou a temporada passada atuando contra o Internacional, na última rodada do Brasileirão, mas voltou à reserva nos primeiros desafios de 2020.

Seguro e bom de entrevista, Michael saiu sem sofrer gols na vitória por 1 a 0 sobre o Uberlândia, no Triângulo Mineiro, no triunfo por 5 a 0 sobre o Tupynambás, no Independência, e no empate sem alteração no marcador contra o Coimbra, também disputado na Arena do Horto.

Domingo (2), o Atlético volta a campo e encara o Tombense. Pelas boas atuações do 'substituto imediato', ele deve seguir prestigiado com o comandante venezuelano e figurando entre os onze iniciais.