Ninguém do atual elenco do Cruzeiro tem números superiores aos de Thiago Neves no Campeonato Brasileiro. Ele é o artilheiro do time, com cinco gols, um a mais que Fred, divide o topo da lista de principais garçons da equipe, ao lado do camisa 9, Pedro Rocha e David, cada um deles com duas assistências, e é quem mais finaliza com a camisa azul e branca (45 chutes).

No entanto, não há atleta da Raposa que seja mais cobrado que o armador, acusado de ser o pivô de uma ‘crise’ nos bastidores da equipe – o meia reclamou das mudanças que Rogério Ceni fazia – e que acumula más atuações dentro de campo nas últimas rodadas.

Nesse sábado (5), no empate em 1 a 1 com o Internacional, no Mineirão, Thiago Neves teve mais uma performance aquém do esperado, anos-luz das exibições decisivas dos anos passados.

Por outro lado, o técnico Abel Braga preferiu ver o lado positivo do atleta, que está suspenso contra o Fluminense na próxima quarta-feira (9), no Gigante da Pampulha.

“O Thiago, no jogo passado (ante o Goiás), foi o que mais correu. Ele é um jogador que eu conto e vou contar sempre. Ele correu e lutou”, sintetizou o treinador, que isentou o atleta de culpa no gol do Inter.

Além de Neves, o zagueiro Cacá também recebeu o terceiro cartão amarelo na partida contra o Colorado e cumpre suspensão diante do Tricolor das Laranjeiras.