Todos por um. Neste domingo (21), um pequeno torcedor atleticano, de cinco anos, experimentou pela primeira vez ir ao Independência sem a presença do pai, maior companheiro em dias de jogos e quem lhe ensinou amar o Atlético. Porém, ele não esteve sozinho.

Filho de Luciano Oliveira Palhares, que faleceu durante o clássico da última quarta-feira (17), Rafinha voltou ao Horto para um dia especial. Acompanhado da mãe, do tio e de outros familiares e amigos, ele entrou em campo com o time e presenciou o minuto de silêncio feito antes de a bola rolar, em homenagem ao homem que lhe fez alvinegro.

Leia mais:
Rafinha em campo e família nas cadeiras: domingo será de homenagem a atleticano Luciano Palhares

Apesar de não ter entrado em campo com o venezuelano Otero, já que seu ídolo fora poupada no duelo da 11ª rodada do Campeonato Brasileiro, contra o Fortaleza, Rafa deu as mãos a outro gringo, o camisa 10 Cazares. Feliz da vida, mesmo com a perda, esta ainda não dimensionada, ele correu pelo gramado, cumprimentou os atletas no banco de reservas e, em seguida, foi para as cadeiras, onde se juntou aos milhares de torcedores presentes à Arena.

Antes de a bola rolar, o fato foi bastante comentado nos bares, praças e entorno do Independência. Muitos pais, inclusive, aproveitaram para levar os filhos ao jogo e curtir junto deles mais um duelo do clube de coração. O exemplo dado por Luciano, de vivrer cada minuto perto do herdeiro, tomou conta dos atleticanos e foi levado a sério. 

 

Rafinha, que no sábado (20) foi à Cidade do Galo conhecer a estrutura do CT, além de ver os ídolos de perto e dos presentes recebidos, teve o final de semana que o pai sempre sonhou. A partir de agora, adotado pelo clube como seu mascote mais especial, precisará encarar os dias com uma grande ausência. Amparado por várias outras pessoas, porém, terá todo suporte para, um dia, ser o responsável por levar um "baixinho" aos jogos do Galo.

cazares