A quinta-feira (27) foi marcada protestos e lamentações na Ponte Preta. Após a derrota para a Chapecoense, por 3 a 0, quarta-feira, o técnico Doriva procurou minimizar a eliminação na Copa Sul-Americana, o que gerou inclusive o protesto de torcedores à frente do Estádio Moisés Lucarelli, nesta manhã, na chegada da delegação.

O treinador afirmou entender a revolta da torcida, mas pediu apoio para a luta contra o rebaixamento no Brasileirão. "Pedimos desculpas aos nossos torcedores mas temos que seguir para frente. Temos que focar no Brasileiro, recuperar nossos atletas, precisamos deles", destacou.

Nos dois jogos o técnico escalou reservas à pedido da diretoria, que deixou bem claro a sua opção por priorizar o Campeonato Brasileiro. Em 2013, o time priorizou a Sul-Americana, chegou ao vice-campeonato e caiu para a Série B.

O próximo desafio da Ponte será contra o São Paulo, no sábado, às 21 horas, no Morumbi. Após o empate sem gols contra o Grêmio, no último domingo, o time de Campinas ocupa a 12ª colocação, com 27 pontos. São seis pontos a mais que o Coritiba, o primeiro na zona de rebaixamento.