O clima de tranquilidade que marcou a primeira hora da eleição ao Conselho Fiscal do Cruzeiro, na noite dessa segunda-feira (1), na sede social do clube, no Barro Preto, deu lugar a um protesto de uma torcida organizado da Raposa. 

Cerca de 200 membros da “Máfia Azul” se concentram do lado de fora do local de votação portanto faixas de protestos e bradando palavras de ordem contra a diretoria atual e até mesmo contra as duas chapas que postulam os cargos. 

Sinalizadores, fogos de artifício, instrumentos musicais e até pipocas foram itens usados pelos torcedores no protesto. 

Apesar do clima de exaltação e de hostilidade, até o momento não houve qualquer uma incidente na ação da torcida organizada. 

A Polícia Militar, que fechou o quarteirão da rua Guajajaras em que se localiza o clube social, e funcionários do Cruzeiro fazem a segurança do local. 

A eleição 

Desde às 17h30, os 449 conselheiros aptos à votação começaram a chegar no salão nobre para escolher entre a chapa Força Azul, tida como a da situação, e a chapa Transparência, formada por opositores da atual gestão. 

Força Azul tem como titulares os conselheiros Nagib Geraldo Simões, Paulo César Pedrosa, Wander Gonçalves dos Santos e Tarcísio Dionísio Vítor. Os suplentes são João Luiz Silva e Afrânio Greco.

A chapa Transparência é a oposição e tem como membros os candidatos efetivos Aristóteles de Paula Lorêdo, Giovanni Baroni e Robert de Freitas. Além dos suplentes Carlos Ferreira Rocha, Ricardo Moreira de Souza e Robson Lucas da Silva.

Desde maio o Conselho Fiscal não tem integrantes, já que os últimos três renunciaram por problemas internos (não disponibilização de documentos por parte da diretoria).

O vencedor vai ser definido por meio da maioria simples dos votos, e a expectativa é de que até às 20 hrs o resultado do pleito seja divulgado.