Um dos momentos mais marcantes dos primeiros anos da carreira de Vanderlei Luxemburgo como treinador ocorreu em 1989, quando conquistou o título do Campeonato Brasileiro da Série B à frente do Bragantino.

A passagem pelo time de Bragança Paulista elevou o patamar de Vanderlei no cenário do futebol brasileiro. Além da Segunda Divisão do Nacional, o técnico levantou a taça do Campeonato Paulista no ano seguinte, consolidando a base da equipe que seria vice-campeã do Brasileirão em 1991, já sob o comando de Carlos Alberto Parreira.

Mais de três décadas depois, Luxemburgo vai disputar pela segunda vez a Série B, agora à frente do Cruzeiro, que vive péssimo momento na disputa, em 18° lugar, com 13 pontos obtidos em 15 rodadas.

Apesar de não viver a realidade da Segundona há muitos anos, o treinador se mostra ciente das diferenças dela para a elite do futebol brasileiro.

“Eu sei como funciona uma Segunda Divisão, eu sei da dificuldade que é, talvez seja maior do que da Primeira Divisão. Na Segunda, a disputa não é como na Primeira; a disputa é muito mais física do que técnica. A qualidade está praticamente na Primeira Divisão. Na Segunda, você vê mais jogo truncado, campos diferentes, estádios diferentes. Tudo isso, o jogador vai ter que identificar”, disse o técnico, em sua apresentação, nessa quarta-feira (5).

Comportamento

No mesmo tom, Luxemburgo pregou uma espécie de choque de realidade em relação ao entendimento do elenco sobre o campeonato.

“Para subir, tem que mudar também o comportamento do atleta. Não adianta (o jogador) querer jogar refinado e tecnicamente. Ele tem que tirar a bola da p... do gol de qualquer maneira, com a bunda, com qualquer lugar, de qualquer jeito. A bola não pode entrar", afirmou.

O primeiro jogo desta terceira passagem de Vanderlei pelo time celeste será neste sábado (7), diante do Brusque, às 11h, no estádio Augusto Bauer, pela 16ª rodada da Série B. A equipe mineira está há nove partidas seguidas sem vencer.