A mais dura batalha da vida de Michael Schumacher completa um ano nesta segunda-feira (29). Desde 29 de dezembro de 2013 o heptacampeão mundial de Fórmula 1 tenta se recuperar de um acidente de esqui sofrido na França. Mas, para a alegria dos fãs, tem demonstrado lentas evoluções em seu quadro.

No decorrer do último ano o alemão passou os seis primeiros meses em coma no hospital em Grenoble, próximo ao local do acidente, a estação de esqui de Méribel. Em junho, no dia da estreia da Alemanha na Copa do Mundo, o ex-piloto teve melhora do quadro, saiu do coma e foi transferido para o Centro Hospitalar Universitário de Vaud, localizado em Lausanne, na Suíça.

A mais recente atualização oficial do estado de saúde de Schumacher foi em setembro, quando deixou o hospital e foi para casa na pequena cidade de Gland, perto da fronteira com a França. No local, recebe acompanhamento permanente de médicos e terapeutas, além de estar na companhia da mulher, Corinne, e dos dois filhos.

"Nós precisamos de um longo tempo. Será um longo tempo e uma luta difícil", disse a assessora do piloto, Sabine Kehm nesta última semana. "Ele está evoluindo de forma apropriada, se considerarmos a severidade da situação", explicou.

A pancada sofrida na cabeça e a lenta recuperação do grave acidente fizeram a família do piloto optar pela discrição e evitar conceder informações frequentes sobre a evolução do caso. Nos bastidores, porém, a imprensa europeia tem publicado reportagens com detalhes sobre a situação de Schumacher. Em uma das entrevistas mais polêmicas, o ex-piloto francês Philippe Streiff contou à rádio Europe 1 que o alemão se encontra em uma cadeira de rodas e com problemas de memória e de fala.

Tais informações, porém, não têm a confirmação da família. A assessora do alemão, Sabine Kehm, apenas explica que o quadro é grave e está em constante evolução. Já um dos médicos responsáveis por cuidar de Schumacher durante seis meses no Hospital de Grenoble, Jean-François Payen, ressaltou que o período de recuperação é longo e deve levar até três anos.

ANO DE COMEMORAÇÕES - A recuperação do quadro de saúde de Schumacher foi apenas um das vitórias da família do ex-piloto em 2014. A outra se deu nas pistas, onde o filho mais novo do heptacampeão, Mick Junior, começa a despontar no kart. Aos 15 anos, o garoto terminou o ano como vice-campeão europeu júnior de kart (KF Junior), competição oficial da Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

De acordo com a imprensa austríaca, Mick Junior chegou inclusive a fazer testes secretos em Valência para correr no próximo ano em outra categoria, a Fórmula 4. "Certamente ele é talentoso, mas você não pode dizer que um bom piloto de kart será rápido na Fórmula 1. Não é bom ter apenas um grande sobrenome, você precisa ser rápido", disse aos jornalistas Peter Mücke, chefe da equipe pela qual o garoto fez o teste.

A evolução de Schumacher ao longo de 2014 coincidiu ainda com duas comemorações importantes na carreira dele. Em agosto, o alemão completou dez anos da conquista do seu sétimo título, garantido no GP da Bélgica daquele ano. Já em novembro, a festa foi pelos 20 anos do primeiro título, assegurado no GP da Austrália.