O técnico Vagner Mancini admite que tomou a decisão errada ao retirar Cazares de campo, aos 23 minutos do segundo tempo da partida contra o Athletico-PR, na tarde deste domingo (24), no Mineirão. O equatoriano vinha sendo o melhor jogador do confronto, responsável por colocar seus companheiros em situação de gol.

"A saída do Cazares desmontou um pouco o sistema ofensivo, perdendo muito o ânimo que tínhamos no jogo", admitiu Mancini, que pôs Bruninho no lugar do camisa 10 para que o prata de casa investisse mais nas jogadas individuais, com o objetivo de "quebras linhas do Athletico de uma forma efetiva".

"Cazares vinha bem na partida, mas ele é um atleta de passes, que são ótimos. E o Bruninho é um cara diferente neste sentido. Minha expectativa era de que gerasse um fato diferente, assim como aconteceu contra o Goiás. Neste, o Cazares também vinha fazendo um ótimo jogo, e o Bruninho gerou esse fato diferente", explicou o treinador.

O técnico, que ainda não tem garantida sua continuidade à frente da equipe em 2020, analisou que o Galo teve domínio desde o início do jogo, com várias chances reais de gol: "Infelizmente fomos lesados numa bola que foi desviada. Um castigo! Nosso time foi o que mais finalizou a gol, com dominio territorial durante a partida".

Para ele, o time cumpriu com o que foi treinado durante a semana, só faltando colocar a bola "para dentro". "As oportunidades estavam lá; elas foram criadas. O que faltou foi a tomada de decisão certa, com qualidade, para definir a jogada", lamentou Mancini, para quem o equilíbrio emocional pesa muito nesta fase do campeonato.