O técnico Vagner Mancini deixou claro, na coletiva após a vitória do Atlético por 2 a 0 sobre o Santos, que a decisão de mexer no time será sempre dele. O treinador comentou sobre a escolha de colocar Zé Welison e Michael Bolt em campo, o que gerou reclamação por parte da torcida. 

"O torcedor ainda está desconfiado, mas em breve irá entender o que estamos fazendo. Eu tenho só dois jogos, mas preciso resgatar os atletas, como Zé Welison e Bolt. Eu precisava deles naquele momento em campo. E também preciso mostrar que se eles não vinham bem, lá atrás, não foi comigo. Além disso eu que preciso de ter o grupo todo comigo. Desde que cheguei ao clube não me eximi de tomar decisões. Ouço a todos, mas são minhas as decisões", aponta o Mancini.

Sobre as vaias em relação a entrada Bolt, e não de Marquinhos, o treinador explicou: "Marquinhos agradou, sim, contra o CSA, mas hoje achei que tinha que fazer uma alteração tática, e a escolha do Bolt foi para ele ter velocidade nas costas do Jorge, além de elevar a estatura, pois ele vai bem no jogo aéreo. Eu tenho que tomar decisões de acordo com minhas convicções. O jogador só irá evoluir se entrar em campo, mesmo que o torcedor não concorde", afirma.

Vagner Mancini durante vitória do Atlético por 2 a 0 sobre o Santos
Vagner Mancini durante vitória do Atlético por 2 a 0 sobre o Santos

Com apenas uma semana no comando do Galo, o treinador sabe que ainda há muito que precisa evoluir. Para ele, a semana cheia permitirá uma melhor leitura tática do elenco. "Essa semana vai me dar a condição de ver como o elenco se comporta dentro do campo, pois no treino consigo absorver melhor do que na lateral do campo, durante o jogo", observa o técnico.

O Atlético volta a campo no domingo (27) às 16 horas, quando enfrentará o São Paulo no Morumbi.