Embalado pela marca de cinco vitórias nos últimos seis jogos, o América terá um importante desfalque para a sequencia da temporada.

O meia Matheusinho sofreu uma lesão no músculo posterior da coxa esquerda no triunfo sobre o Paraná, pela Série B, na última quarta-feira (9), e vai ficar de fora das partidas por cerca de um mês.

O técnico Lisca segue sem poder contar com os atacantes Ademir, Felipe Augusto e Felipe Azevedo, além do meia Geovane, que também estão entregues ao departamento médico, e que seriam alternativas para a vaga de Matheusinho.

Mesmo com os desfalques, o treinador do Coelho tem várias opções para armar o time para o duelo de ida da quarta fase da Copa do Brasil, com a Ponte Preta, nesta quarta-feira, às 19h, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas.

Se optar por um jogador com as características parecidas com a de Matheusinho, que joga aberto e tem a velocidade e o drible como principais recursos, o comandante alviverde pode optar por Calyson, Neto Berola, frequentemente acionados nos últimos jogos.

Quem também têm o mesmo estilo são os jovens  Kawê e Carlos Alberto, que pouco atuaram sob o comando de Lisca, mas que fazem parte do elenco e podem aparecer como surpresas no confronto com a Macaca. 

Experiência

Caso decida mandar  a campo um substituto com mais experiência, priorizando uma peça que tenha mais facilidade em armar a equipe e cadenciar o ritmo da partida, os meias-atacantes Marcelo Toscano e Guilherme ganham força para iniciar jogando.

O primeiro chegou a conquistar a titularidade recentemente após boas atuações, mas acabou barrado para a entrada de Léo Passos diante do Paraná.

Já Guilherme, chegou ao clube há menos de um mês e ainda busca mais oportunidades. Até o momento, o jogador atuou poucos minutos contra CSA e Sampaio Corrêa pela Série B.

Mudança de esquema

Outra alternativa de Lisca para encarar a Ponte, seria mudar o esquema de jogo, atuando com dois atacantes ao invés dos três que normalmente iniciam as partida.

Nesse caso, o treinador poderia lançar Flávio ou Rickson, volantes de ofício, que comporiam o meio de campo ao lado de Zé Ricardo, Juninho e Alê, deixando o ataque sob o comando de Rodolfo e Léo Passos.

Lisca já utilizou esse esquema durante as partidas, mas não de início. Diante de um forte rival, que lidera a Série B, essa formação com um  meio de campo mais marcador, pode ser uma carta na manga do técnico para surpreender o adversário em um dos jogos mais importantes do América no ano até agora.

Independentemente do escolhido, Juninho, uma das principais referências do elenco alviverde, mostrou confiança na manutenção do bom futebol do time.  

"Todo mundo faz falta. O Matheusinho vivendo um excelente momento, mas creio que o clube tem essa margem também (para suprir os desfalques). Lógico que estamos sujeitos a diversas situações. Lógico que ficamos chateados pelo Matheusinho, mas temos jogadores que vão suprir bem essa ausência dele. Espero que ele esteja fazendo o que gosta o mais breve possível e nos ajudando também", afirmou o volante, em entrevista coletiva nesta segunda-feira.