O atacante Clayton poderia ter se consagrado como um dos herói de um título, mas acabou saindo de campo entre os vilões na final da Primeira Liga 2017.

Autor de dois gols no torneio (um deles valendo classificação no mata-mata), o atacante do Atlético desperdiçou o terceiro pênalti alvinegro na disputa contra o Londrina pelo troféu, após o empate em 0 a 0 no tempo normal, nesta quarta-feira (4), no Estádio do Café.

Nem mesmo a artilharia (magra, porém inédita na carreira) será comemorada. Ao fim da competição, o camisa 99 terminou empatado no posto com outros sete jogadores.

São eles Arrascaeta e Ábila (Cruzeiro), Paulo Rangel, Alisson Safira e Carlos Henrique (Londrina), Renatinho (Paraná) e Gustavo Papa (Brasil de Pelotas).

'Quase herói'

Clayton estreou pela Primeira Liga no clássico contra o Cruzeiro, na primeira rodada, saindo do banco no segundo tempo para substituir Maicosuel.

Depois, voltou como titular no terceiro jogo, no qual contribuiu com um gol no empate em 2 a 2 com a Chapecoense, na Arena Condá.

Emprestado ao Corinthians após as duas participações na fase de grupos, retornou ao Galo a tempo de atuar nos três jogos do mata-mata, contra Internacional, Paraná e Londrina.

Nas quartas de final, foi decisivo ao anotar o gol da vitória alvinegra sobre o Colorado, por 1 a 0, no Beira-Rio. 

Contra o Londrina, entrou aos 22 minutos do segundo tempo, no lugar de Valdívia. E criou uma boa chance, já nos lances finais, em tabela com Marlone. Mas não conseguiu ser efetivo no tempo normal e ainda bateu mal o pênalti defendido pelo goleiro César.

Campeonato Mineiro

Curiosamente, Clayton já havia sentido o gostinho de um título como protagonista, no Estadual do ano passado. Foi dele o gol atleticano no segundo jogo da final contra o América, no Mineirão. A vitória por 1 a 0 daria o troféu ao Galo, mas o Coelho buscou o empate nos últimos minutos, para decepção do time e do jogador.