A palavra que não sai da mente de jogadores, comissão técnica e dos torcedores do Cruzeiro é uma só nesta reta final do Campeonato Brasileiro: vitória. Segundo o dicionário da língua portuguesa, um dos significados do termo é “vencer um opositor em uma competição”. Além de ser um objetivo a atingir, uma meta, Vitória também é o nome do próximo adversário da Raposa no Brasileirão, e as duas equipes se enfrentam neste domingo, às 17h, no estádio do Barradão, em Salvador, pela 32ª rodada.

13º colocado, o Cruzeiro não pode sequer pensar em outro resultado que não a vitória, já que o rival da vez é o clube que abre a zona de rebaixamento, ocupando o 17º lugar. E o que separa os oponentes na tabela de classificação atualmente são apenas três pontos. Portanto, na capital baiana neste fim de semana teremos o famoso “duelo de seis pontos” entre soteropolitanos e belo-horizontinos.

Caso vença em Salvador e o São Paulo perca ou empate com a Ponte Preta, no Morumbi, o Cruzeiro retoma o 12º lugar, hoje ocupado pelos paulistas, mas que, recentemente, tinha os celestes na vaga. Se perder, fatalmente a Raposa volta ao Z-4.

Mesmo com três decisões nos próximos sete dias, já que enfrenta o Vitória domingo, o Grêmio na próxima quarta-feira (26, partida de ida da semifinal da Copa do Brasil) e o Atlético-PR no sábado (29), o pensamento está totalmente direcionado no momento ao jogo da vez.

“Primeiro nós temos que ganhar do Vitória. Vamos pensar no Vitória primeiro. Depois, na segunda-feira, falamos do Grêmio”, afirma o argentino Ramón Ábila.

Autor de dois gols na vitória por 4 a 2 sobre o Corinthians, resultado que colocou o Cruzeiro em sua oitava semifinal da Copa do Brasil, Ábila teve o Vitória como sua primeira vítima. Foi diante dos baianos que saiu o primeiro gol do argentino com a camisa celeste.

“Estamos convencidos de que, se mantivermos a calma e a tranquilidade no domingo, podemos ganhar”, disse o gringo, que já balançou as redes 12 vezes em 21 jogos.

Top 3 no ranking de zagueiros com mais gols pelo Cruzeiro, Bruno Rodrigo, um dos mais experientes do grupo, sabe que a partida contra os baianos é muito importante.

“Com certeza será um jogo muito difícil contra o Vitória. Teremos que jogar com muita seriedade. Nenhum jogo é fácil. Neste, teremos que encarar muita dificuldade, porque a equipe deles é muito forte. Vamos ter que marcar bastante e, quando tivermos a bola, tentar impor nosso ritmo para sairmos de lá com o melhor resultado possível”, analisou.

Estatísticas do confronto em Campeonatos Brasileiros

Partidas disputadas

33 jogos

20 vitórias do Cruzeiro

7 vitórias do Vitória

6 empates

Gols marcados

70 gols fez o Cruzeiro

38 gols marcou o Vitória

Goleadas

Maior goleada do Cruzeiro em casa

6 a 1

Jogo da Segunda fase do Campeonato Brasileiro 1973. Dirceu Lopes (2), Palhinha (3) e Nelinho fizeram os gols do Cruzeiro; Osni fez o de honra do Vitória.

Maior goleada a favor do Cruzeiro na Bahia

4 a 2

Jogo da Primeira fase do Campeonato Brasileiro de 1979 no estádio da Fonte Nova. Sena e Pita marcaram os gols do Vitória. Joãozinho, Roberto César (2) e Mauro Madureira decretaram a vitória cruzeirense. 

Partidas em 2016*

3 jogos

2 vitórias do Cruzeiro

1 empate

*Duas partidas foram realizadas pela 3ª fase da Copa do Brasil. O Cruzeiro venceu o jogo de ida por 2 a 1 (gols de Willian, duas vezes, e Diego Renan) no Barradão, e repetiu o placar na volta, no Mineirão (gols de Bruno Ramires e Ramón Ábila; Marinho). O outro confronto aconteceu pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. Houve empate em 2 a 2. (gols de Alisson e Arrascaeta; Diego Renan e Vander)