Dar vida e mais emoção ao ambiente de um estádio de futebol durante uma partida com portões fechados é missão bastante complicada. Porém, concluída com sucesso por um DJ belo-horizontino. No duelo do Atlético contra o Patrocinense, realizado nesta quarta-feira (29), Maurício Maoli aceitou o desafio e caprichou em cada detalhe dos áudios no Mineirão.

Craque no quesito musical desde a adolescência, quando atuava em festas de amigos, o escolhido pelo clube para desempenhar a função nos próximos jogos como mandante é um velho conhecido na Cidade do Galo. Durante quatro temporadas, Maurício frequentou o Centro de Treinamentos como repórter setorista pelo Jornal O Tempo.

"Foi uma experiência única. Já toquei em eventos e shows grandes, para 30 mil pessoas. Também toquei fora do país (República Tcheca, Argentina, etc.) mas nunca senti tanto frio na barriga como no dia de ontem. Era uma coisa muito nova e que começou devido à pandemia. Fiquei bem emocionado por, em primeiro lugar, chegar no estádio e sentir falta da torcida, dos ambulantes... Entrar no Mineirão com aquele silêncio é muito estranho. A partir do momento que você coloca o áudio, você transporta a torcida para o lugar. Jogar em silêncio seria estranho também para os jogadores", conta Maoli, ao Hoje em Dia.

"Acabou sendo tudo muito rápido. O Atlético teve a ideia de ter este DJ para fazer a sonoplastia da torcida. Fechamos nesta semana mesmo e o mais importante que me passaram era para não deixar a torcida de fora, deixando clara a importância da Massa. Se tem um ponto positivo desta pandemia para o clube é a proximidade com os torcedores. Troquei ideias com a equipe de comunicação e eles me mandaram alguns modelos; fui atrás de outros também. Ser jornalista e ter vivido intensamente este meio do futebol também me ajudou bastante. A charanga é um patrimônio do Atlético. Foi uma coisa que fiz questão de incluir, por todo o charme que ela representa", acrescenta. Ele foi o convidado da Live 34 da TV Galo durante esta pandemia.

De tão ansioso por este desafio, Maurício, que completará 44 anos, ficou sem dormir na véspera do jogo. O sucesso foi tão grande, que ele é presença certa nos próximos duelos do Galo com portões fechados.

maoli