A delicada situação que a Venezuela atravessa, imersa em uma crise política, econômica e social, colocou em dúvida a realização da partida entre Cruzeiro e Deportivo Lara, pela segunda rodada do grupo B da Libertadores.

Após dois adiamentos, em função da dificuldade do time venezuelano em deixar o país, o duelo foi confirmado para esta quarta-feira (27), às 21h30, no Mineirão.

Antes do confronto com o Lara, o presidente da Raposa, Wagner Pires de Sá concedeu entrevista, revelando como foi o contato que teve com os mandatários do adversário.

“Jantamos com o pessoal da equipe da Venezuela, com os dirigentes. Eles estão com uma dificuldade muito grande, fiquei sabendo que, até hoje, inclusive, não tem energia elétrica (na Venezuela). Com isso, eles não têm água, não tem refrigeração para os alimentos. Ou seja, eles estão em uma situação muito difícil. Dentro das quatro linhas, vamos lutar para ganhar, mas vamos dar um abraço de solidariedade nesse povo (venezuelanos), que é bem sofrido”.

Wagner também comentou sobre o temor de possíveis dificuldades que o time celeste possa encontrar no jogo do returno, marcado para o dia 23 de abril, no estádio Metropolitano de Lara, localizado na cidade de Cabudare, na Venezuela.

“Até agora, a Conmebol vem mantido o seu calendário. Nós aceitamos adiar o jogo duas vezes, sabendo da dificuldade da saída do time da Venezuela. Agora, quanto a nossa ida lá, temos que aguardar. Temos um time aqui em Minas Gerais (Atlético) que vai lá (na Venezuela) antes de nós. Vamos ver como vai ficar essa logística”.

Na verdade, o mandatário celeste parece ter se equivocado em relação as datas das partidas entre equipes mineiras e venezuelanas. O duelo entre Zamora e Atlético está marcado para o dia 7 de maio, em Barinas, no encerramento do grupo E do torneio.

“Já mandamos uma carta para a Conmebol, demostrando a nossa preocupação. Eles (Conmebol) dizem que vão resolver tudo. Então, vamos esperar o melhor”, completou o dirigente.

Robinho e Lucas Silva

O presidente do Cruzeiro também foi questionado sobre o futuro de Lucas Silva e Robinho, que têm o vinculo com a Raposa expirando nos próximos meses.

Enquanto o volante está emprestado pelo Real Madrid até julho, o meia tem contrato apenas até o final da temporada.

“Ainda não temos uma discussão oficial. O contrato do Lucas Silva, de fato é até julho, a gente vai conversar ainda com o Real Madrid, e o Robinho também está ai.. Mas se você perguntar a eles, eles vão querer ficar no Cruzeiro”, concluiu com bom humor, o dirigente.