A vitória do Palmeiras sobre o Internacional por 1 a 0, na quarta-feira, (10) no jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil, marcou o retorno do atacante Willian aos gramados. O atacante não atuava desde a 37.ª e penúltima rodada do Campeonato Brasileiro de 2018, quando se machucou ao dar o passe para o gol do título. Ele foi bastante aplaudido pela torcida, que chegou a gritar "Willian Bigode" - entrou aos 43 minutos do segundo tempo no lugar de Zé Rafael.

"Desde a notícia da minha lesão, eu tive o apoio de todos. Primeiramente uma gratidão enorme a Deus, a minha família e a todos que fizeram parte da minha recuperação, todo o estafe do clube", disse o jogador, que sofreu grave lesão no joelho.

Sobre a partida, Willian lamentou algumas chances que a equipe desperdiçou principalmente no segundo tempo da vitória sobre o Internacional. "Jogamos com intensidade. Poderíamos ter aproveitado um ou outro contra-ataque. Acho que dava para ter beliscado mais um golzinho", brincou o atacante.

O jogador reconheceu a importância do resultado na busca por uma vaga nas semifinais da Copa do Brasil. "Foi uma grande vitória. Sabíamos da dificuldade que iríamos encontrar. A equipe do Internacional é de muita qualidade, uma equipe que compete muito, como a nossa. Conseguimos um placar importante", disse.

Atualmente, Deyverson tem sido escalado como titular, com o colombiano Borja sendo a opção imediata para a posição de centroavante. Willian também pode atuar como atacante aberto pelo lado do campo.

Agora o Palmeiras volta as suas atenções para o Brasileirão. Neste sábado, o time terá pela frente o clássico contra o São Paulo, no estádio do Morumbi, na capital paulista, pela 10.ª rodada. "Agora é colocar o foco no Campeonato Brasileiro contra o São Paulo. Depois, lá em Porto Alegre, tenho certeza que será um grande jogo e que poderemos sair com a classificação", afirmou Willian.


Leia mais:
Após repescagem, Peterson Crisanto e Willian Cardoso avançam em Jeffreys Bay
Cruzeiro não perderá 6 pontos na Série A pela dívida com os ucranianos pelo atacante Willian
Após risco de ter 14 artilheiros, Copa América termina com dois empatados no topo