Quando a bola rolar para Guarani x Cruzeiro, no próximo dia 19 de janeiro, os clubes do interior começam, mais uma vez, a batalha para frear a hegemonia dos grandes da capital no Módulo I do Campeonato Mineiro. A última vez que um dos “pequenos” conseguiu desbancar América, Atlético e Cruzeiro foi em 2005, quando o Ipatinga levou o caneco do Estadual para o Vale do Aço. 

Prejudicado por más gestões e quase extinto, o Tigre se reorganizou dentro e fora de campo e, recém-promovido ao Módulo II, poderá tentar repetir o feito em 2020, caso consiga o acesso à elite.

O primeiro clube do interior a sagrar-se campeão mineiro foi o Villa Nova, equipe com sede em Nova Lima, na Região Metropolitana. Pentacampeão, o Leão do Bonfim começou sua história de conquistas dentro da competição em 1932 e repetiu o feito em 1933, 34, 35 e, por último em 1951.

Já o Siderúrgica, extinta equipe que se tornou orgulho em Sabará, figurou no topo do futebol mineiro em 1937 e depois em 1964. Depois do Leão, a “Tartaruga” figura como a que mais voltas olímpicas deu.

Campeã sem os grandes

Já a Caldense, que também figura na lista de campeãs estaduais, conquistou o caneco em 2002, porém, sem enfrentar Coelho, Galo e Raposa. Naquela edição do Mineiro, a 88ª da história, a Veterana teve pela frente apenas adversários do interior. Os grandes da capital ficaram de fora para disputar o Torneio Sul-Minas, que contou também com a participação do Mamoré, equipe de Patos de Minas.

Com o título, o time de Poços de Caldas se credenciou para disputar o Supercampeonato Mineiro, torneio promovido pela Federação Mineira de Futebol (FMF), mas que não substituiu a versão original da competição. Apesar da derrota para o Cruzeiro na final, o Periquito do Sul de Minas teve o nome registrado na lista dos campeões estaduais.

Em 2015, a Caldense teve a chance de conquistar o bicampeonato, mas, comandada pelo técnico Léo Condé, acabou derrotada pelo Atlético na grande final, disputada em Varginha.

Com calendário definido para 2019, os 12 participantes da 105ª edição do Módulo I iniciarão a briga pela volta olímpica no dia 19 de janeiro; os dois finalistas decidem quem levará o troféu para casa no dia 21 de abril.