A 33ª Semana do Migrante vai ser realizada entre os dias 24 e 30 de junho com atividades em Belo Horizonte e Região Metropolitana para aproximar os mineiros dos migrantes e refugiados. Entre eles haitianos, congoleses, peruanos e colombianos. 

O evento é realizado pela Arquidiocese de Belo Horizonte, pela Cáritas Regional Minas Gerais e pelo Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados, e inclui orações, roda de conversas, feira de artesanato, de alimentos e apresentações culturais.

Segundo os organizadores, o número de migrantes e refugiados tem crescido na Grande BH e a concentração maior é de haitianos, com cerca três mil migrantes dessa nacionalidade. 

O Serviço Jesuíta a Migrantes Refugiados de BH realiza orientações e assessoria para a regularização migratória, suporte para a obtenção de documentos, assessoria jurídica, preparação para o mercado de trabalho, encaminhamento a programas sociais, acompanhamento familiar e psicológico, ensino da Língua Portuguesa e distribuição de roupas. 

Entre 2016 e 2017, a entidade realizou cerca de 13 mil atendimentos, uma média de seis mil por ano. Em 2018, de janeiro até maio, foram cerca de 1.700.

Programação:

Dia 24
11h - missa no Santuário Arquidiocesano de Adoração Perpétua Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem (rua Sergipe, 175, bairro da Boa Viagem).

Dia 29
19h - roda de conversa na Escola Superior Dom Hélder Câmara (rua Álvares Maciel, 628, bairro Santa Efigênia). 

Dia 30
9h às 14h - manhã de cidadania no Parque Ecológico do Eldorado (rua Paineiras, 1722,  Contagem). Será realizada feira de alimentos e artesanatos, palco aberto para apresentações culturais e serão oferecidos serviços gratuitos relacionados à saúde, emissão de documentos, educação e lazer.