A greve dos caminhoneiros, iniciada na última segunda-feira (21), atinge em cheio os postos de combustíveis em Minas Gerais. O produto está em falta em 90% dos estabecimentos, segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado de Minas Gerais (Minaspetro).

O sindicato, que representa cerca de 4.300 revendedores, informou ainda que em 71,3% dos pontos, o combustível já acabou e 21,7% deles só tem um produto para comercialização. Em 9,6% dos estabelecimentos, o combustível que resta vai acabar em breve.

A situação é mais grave nas regiões com maior concentração de revendas, como BH e Região Metropolitana, Sul de Minas, Zona da Mata e Triângulo Mineiro.

Segundo o Minaspetro, cerca de 60% dos postos abastecem na Refinaria Gabriel Passos (Regap), em Betim, na Grande BH, que segue bloqueada por caminhoneiros desde a última terça-feira (22).

Leia mais:
Justiça determina liberação de rodovias em 14 estados, incluindo em Minas
Associação de caminhoneiros pede fim dos bloqueios nas rodovias
Defesa diz que Forças Armadas vão reforçar ações federais e estaduais
Temer entra com ação no STF para desbloquear rodovias do país
PM cria força-tarefa para garantir serviços básicos