A Regional Nordeste realizou, na última sexta-feira (29), a remoção de quatro famílias que viviam em um imóvel localizado na avenida José Cândido da Silveira, no bairro União, conhecido como “Lajão”. Trata-se de estruturas de concreto armado que possivelmente seriam destinadas à construção de empreendimento comercial (lojas), que não foi finalizado. 
 
Segundo a regional responsável, a construção apresenta riscos de desabamento e de incêndio em função das infiltrações e precariedade das instalações elétricas. A remoção dos moradores pela Prefeitura, foi amparada em decisão judicial que deferiu Liminar requerida pelo Município para proceder à remoção compulsória dos núcleos familiares que habitavam o chamado “Lajão”. 
 
De acordo com a Regional, os moradores já haviam sido alertados várias vezes sobre o iminente risco de deslizamento do imóvel, mas mesmo diante do perigo se recusavam a deixar o local. Esgotadas as tentativas de convencimento das famílias para irem para um abrigo público, a administração municipal recorreu ao Poder Judiciário para resguardar a vida desses moradores.
 
Participaram da ação de desocupação do imóvel, que se estendeu até o início da tarde, as gerências de Políticas Sociais, Saúde, Manutenção, Limpeza Urbana, Fiscalização Integrada e Área de Risco, ambas da Regional Nordeste,  além do apoio da BHTrans e da Cemig, que foi acionada para executar o corte das instalações clandestinas de luz no imóvel. Entre os moradores que deixaram o local apenas uma família optou pelo abrigamento, os outros preferiram ir para a casa de familiares. Todos os pertences dos moradores foram encaminhados para os locais apontados por eles.