Ciência

Cientistas ensinam, com sucesso, formigas a sentirem o cheiro de células de câncer

João Paulo Martins
joao.oliveira@hojeemdia.com.br
16/03/2022 às 20:26.
Atualizado em 16/03/2022 às 20:30
Cientistas conseguiram ensinar formigas da espécie Formica fusca para detectar o cheiro de células cancerosas (Wikimnedia / Sedeer El-Showk / Creative Commons)

Cientistas conseguiram ensinar formigas da espécie Formica fusca para detectar o cheiro de células cancerosas (Wikimnedia / Sedeer El-Showk / Creative Commons)

Formigas são capazes de detectar o odor característico das células cancerosas, segundo um estudo publicado no final de fevereiro na revista científica iScience.

Cada inseto precisa apenas de algumas sessões de treinamento para aprender o cheiro das células que podem causar tumor. De acordo com os pesquisadores, as formigas são mais “viáveis, rápidas e menos trabalhosas” do que outros animais que atuam como “biodetectores”.

Quando as células cancerosas crescem, elas produzem compostos específicos, que podem ser detectados usando equipamentos de alta tecnologia ou captados por animais com narizes especialmente sensíveis. Os cães, por exemplo, podem sentir o cheiro do tumor no pulmão com quase 97% de precisão, segundo a revista Science Focus, da emissora estatal britânica BBC.

No entanto, treinar cães é um processo demorado e caro. Por isso, pesquisadores franceses decidiram testar diferentes animais para a detecção do odor do câncer. Os insetos, por serem baratos e fáceis de criar, pareciam uma boa escolha. Além disso, muitas espécies possuem sistema olfativo aguçado porque dependem dele para sobreviver e procriar.

Treinando formigas
No estudo recém-publicado, os cientistas se concentraram na espécie de formiga chamada Formica fusca, que já sabiam ser rápida para aprender. Depois de cultivar células cancerosas, os pesquisadores montaram uma arena na qual um único inseto era apresentado a um tubo vazio e a outro contendo células tumorais. Eles então começaram a condicionar as formigas para reconhecerem cada tubo. Levou apenas 30 minutos para os animais aprenderem a farejar a amostra de câncer.

“Para treinar uma formiga, usamos o protocolo de treinamento chamado aprendizado associativo, em que um odor (por exemplo, o do câncer) é associado a uma recompensa, como uma solução de açúcar. Após várias apresentações do odor e da recompensa, a formiga associará que o cheiro antecede a comida, e se ela quiser comer, começará a procurar o odor”, explica o pesquisador Baptiste Piqueret, da Universidade de Sorbonne, na França, principal autor do estudo, em entrevista à Science Focus.

Após conseguirem a aprendizagem associativa, a memória da formiga foi testada. O inseto foi colocado em uma arena, sem recompensa, com dois tubos: um com odor de câncer e outro com cheiro qualquer. De acordo com os cientistas, a formiga buscou pelo odor canceroso, na esperança de encontrar recompensa.

Como diferentes tipos de tumor produzem cheiros distintos, o estudo conseguiu ótimos resultados com os insetos farejadores. Eles conseguiram distinguir entre dois tipos de câncer de mama.

Leia mais:

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por