Carnaval

Desfile das escolas de samba do Rio começa nesta sexta; veja programação

Da Redação
portal@hojeemdia.com.br
22/04/2022 às 08:48.
Atualizado em 22/04/2022 às 10:20
Estação Primeira de Mangueira está programada para entrar na Sapucaí a partir das 23h (Instagram/Reprodução)

Estação Primeira de Mangueira está programada para entrar na Sapucaí a partir das 23h (Instagram/Reprodução)

O Sambódromo do Rio de Janeiro recebe, a partir das 22h desta sexta-feira (22), as primeiras seis das 12 escolas do Grupo Especial, que vão disputar o Carnaval de 2022. Cada agremiação tem entre 60 e 70 minutos para se apresentar na Sapucaí.

Veja quem desfila hoje:

Imperatriz Leopoldinense - 22h
Escola vai prestar uma homenagem ao carnavalesco Arlindo Rodrigues, que levou a Imperatriz ao primeiro de seus oito campeonatos, em 1980.

Enredo: Meninos, eu vivi... Onde canta o sabiá. Onde cantam Dalva & Lamartine
Carnavalesca: Rosa Magalhães
Intérpretes: Arthur Franco e Bruno Ribas
Bateria: Mestre Lolo
Rainha de bateria: Iza

Estação Primeira de Mangueira - entre 23h e 23h10
A Mangueira vai prestar uma homenagem a três grandes personalidades da Verde e Rosa: Jamelão, que se destacou no canto, Delegado, que brilhou na dança, e Cartola, que encantou na poesia.

Enredo: Angenor, José & Laurindo
Carnavalesco: Leandro Vieira
Intérprete: Marquinho Art'Samba
Bateria: Mestre Wesley
Rainha de bateria: Evelyn Bastos

Acadêmicos do Salgueiro - entre 0h e 0h20
A escola vai propor uma discussão para que a sociedade enfrente saídas dignas para os efeitos dos horrores da escravidão no país. E vai mostrar o legado dos escravizados deixado na cultura, nas artes, na culinária, na fé e da sua importância na identidade do país.

Enredo: Resistência
Carnavalesco: Alex de Souza
Intérpretes: Quinho e Emerson Dias
Bateria: mestres Gustavo e Guilherme
Rainha de bateria: Viviane Araújo

São Clemente - entre 1h e 1h30
A escola vai prestar uma homenagem ao humorista Paulo Gustavo, que morreu vítima de Covid, em 2021, no auge da carreira. Com a personagem Dona Hermínia, inspirada em sua própria mãe, Paulo Gustavo quebrou recordes de bilheteria no teatro e no cinema com "Minha mãe é uma peça".

Enredo: Minha vida é uma peça!
Carnavalesco: Tiago Martins
Intérprete: Leozinho Nunes e Maninho
Bateria: Mestre Caliquinho
Rainha de bateria: Raphaela Gomes

Unidos do Viradouro - entre 2h e 2h40
A escola vai fazer um paralelo entre o carnaval deste ano e o de 1919, que aconteceu logo após a pandemia da gripe espanhola, e que foi considerado o melhor carnaval de todos os tempos. A ideia é espantar a tristeza provocada por tanta dor e sofrimento e promover uma explosão de alegria depois de mais de dois anos sem carnaval.

Enredo: Não há tristeza que possa suportar tanta alegria
Carnavalescos: Marcus Ferreira e Tarcísio Zanon
Intérprete: Zé Paulo Sierra
Bateria: Mestre Ciça
Rainha de bateria: Erika Januza

Beija-Flor de Nilópolis - entre 3h e 3h50
A escola propõe um resgate de personagens, da história e da cultura negras, como formadora da identidade do povo brasileiro. E promove uma valorização dessa ancestralidade africana, resgatando personalidades da própria comunidade, como Cabana, compositor e fundador da escola.

Enredo: Empretecer o pensamento é ouvir a voz da Beija-Flor
Carnavalesco: Alexandre Louzada
Intérprete: Neguinho da Beija-Flor
Bateria: mestres Rodney e Plínio
Rainha de bateria: Raíssa Oliveira

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por