Ciência

Grupo com especialistas da UFMG é criado para acompanhar desdobramentos sobre varíola dos macacos

Agência Brasil
21/05/2022 às 12:42.
Atualizado em 21/05/2022 às 12:51
 (Wikipedia/Divulgação)

(Wikipedia/Divulgação)

Um grupo de especialistas foi criado pelo governo federal para acompanhar os desdobramentos científicos sobre o vírus monkeypox, conhecido como varíola dos macacos. A iniciativa é do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). 

A medida de vigilância científica, por meio da consulta aos especialistas, é necessária diante dos casos de infecção registrados no Reino Unido, Portugal, Espanha e Estados Unidos em maio de 2022. Segundo a pasta, até o momento, não há registros no Brasil.

A medida segue a mesma ideia da formação da RedeVírus MCTI, comitê de especialistas instituído em fevereiro de 2020, antes mesmo de a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarar pandemia do coronavírus. O comitê de especialistas presta assessoramento técnico-científico à pasta sobre as estratégias e necessidades na área de ciência, tecnologia e inovação necessárias na área de saúde.

Integram o grupo, até o momento, sete especialistas brasileiros da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e da Universidade Feevale. Os pesquisadores produziram dois informes técnicos sobre a doença, envolvendo as principais formas de contágio e as informações disponíveis sobre os casos registrados em outros países.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por