O vice-presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) Antonio Carlos Arantes (PSDB) informou, na noite desse sábado (12), que testou positivo para a Covid-19. O deputado estadual, que cumpre mandato até janeiro de 2023, declarou que está assintomático. Arantes é o primeiro parlamentar da Assembleia a ter a doença confirmada. 

Arantes, de 60 anos, afirmou em rede social que resolveu fazer o exame RT-PCR para a Covid devido ao "grande número de pessoas se contaminando" em Belo Horizonte. Na postagem, o parlamentar informou que a esposa também realizou o teste, mas testou negativo. 

"Estou bem, sem nenhum sintoma. Faço questão de tornar público meu resultado pois nestes últimos dias por mais que eu tenha evitado contato e aglomerações, acabei encontrando com alguns de vocês", disse Arantes, que é natural de Jacuí, no Sul de Minas.

O deputado explicou que está em isolamento. Leia o anúncio:

Venho através desta mensagem informar a todos que diante do grande número de pessoas se contaminando com o Covid 19 em Belo Horizonte resolvi fazer o exame PCR para detecção do vírus e infelizmente testei positivo. Minha esposa também realizou o teste e o resultado dela foi negativo. Estou bem, sem nenhum sintoma. Faço questão de tornar público meu resultado pois nestes últimos dias por mais que eu tenha evitado contato e aglomerações, acabei encontrando com alguns de vocês. Sendo assim sinto na obrigação de comunica-los no sentido de evitar novas contaminações. Já estou em isolamento e com fé em Deus irei passar por esse momento sem nenhuma complicação! Conto com as orações de Todos! Grande abraço, se cuidem!

Deputado Antonio Carlos Arantes

Manifestação

A confirmação do diagnóstico de Arantes foi feita às vésperas de mais uma manifestação com grande potencial para aglomeração, marcada para terça-feira (14), na porta da Assembleia de Minas. O protesto, convocado por entidades ligadas aos servidores públicos e por alguns deputados, como Sargento Rodrigues (PTB), é contra a reforma da previdência do Estado, que tramita na casa, e também contra um webinário marcado pela presidência da Casa para esta semana, no qual o tema será debatido virtualmente por parlamentares, funcionalismo e governo.

"Seminário virtual não substitui a participação efeitva popçular. Por isso, estamos conclamando a todos: na próxima terça-feira, dia 14, às 9h, faremos uma legítima e verdadeira audiencia pública ali em frente à Assembleia, com a participação de diversos sindicatos e associações e com a participação efetiva dos servidores", disse Rodrigues em um vídeo publicado neste final de semana nas redes sociais.

"Aqueles que realmente querem fazer um debate popular, uma audiência pública de verdade, estão convocados para participar (...) Praça pública é o lugar onde as pessoas podem falar livremente. Existe um pequeno grupo de deputados que querem votar (a reforma) a toque de caixa. Não podemos permitir que rasguem a Constituição federal e a  estadual e o próprio regimento interno da Assembleia (deixando de realizar audiências públicas)", sustenta ele.