Os ônibus de Belo Horizonte deverão ser lavados a cada 24 horas e os pontos de maior contato, como roleta, apoio dos assentos e corrimãos devem ser higienizados a cada três horas, no máximo. Um recipiente de álcool em gel também deve ser disponibilizado para os motoristas, devendo ter pelo menos um em cada ônibus da capital.

Ônibus

 

A medida faz parte de uma portaria da BHTrans, publicada nesta quinta-feira (19), com uma série de determinações a fim de se evitar a disseminação do novo coronavírus no transporte público e coletivo da capital. 

Além disso, todas as estações do Move terão que ter, à disposição dos usuários, água corrente e sabão em suas instalações sanitárias. Os comerciantes que atuam nestes locais também devem disponibilizar kit de higiene pessoal (álcool em gel 70% ou outro produto recomendado pelas autoridades de saúde), tanto para uso próprio como para os clientes. Este produto também deve estar nas bilheterias e pontos de venda de passagens. 

Ônibus, táxis e veículos escolares deverão, ainda, conter informativos para a prevenção e não disseminação da doença, sendo que os táxis devem ter o álcool em gel no veículo e os motoristas podem oferecê-lo aos clientes. 

Os motoristas de coletivos devem higienizar as mãos com água e sabão ou álcool em gel ao final de cada viagem, e também fazer a limpeza do volante, manopla do câmbio, freio de estacionamento e outros pontos de contato com a mesma frequência. 

Condutores e funcionários nas estações, que apresentem sintomas da doença, não devem trabalhar. Já os motoristas que fazem parte dos grupos de risco, como aqueles com mais de 60 anos, poderão incluir um motorista auxiliar em caráter emergencial. 

Ônibus com ar condicionado

Os ônibus que possuem sistema de ar condicionado devem passar por uma manutenção e aqueles com sistema de climatização (os suplementares) ou básicos (sem ar condicionado) devem ter os sistemas de ventilação forçada acionados durante toda a operação para permitir a circulação do ar. Como regra geral, sempre que possível, os veículos devem ter as janelas abertas. 

Orientações aos passageiros

Belo Horizonte tem cerca de 9 mil pontos de ônibus, sendo que 2.700 deles contam com abrigos. Diante da inviabilidade de se adotar medidas de higienização em todos estes pontos, a orientação é para que os usuários do transporte público evitem encostar nestes locais e mesmo em corrimãos ou outros apoios dos próprios ônibus. 

Além disso, a orientação é para que as passagens sejam pagas preferencialmente com o cartão BHBus, evitando, assim, o contato físico com o operados. Nos táxis também a recomendação é, sempre que possível, pagar pelas viagens no cartão. 

Usuários idosos devem evitar utilizar o transporte público nos horários de pico, mas todos, incluindo os passageiros fora dos grupos de risco, devem lavar ou higienizar as mãos antes e depois de utilizar os coletivos. 

Belo Horizonte já tem 10 casos confirmados da Covid-19, incluindo transmissões comunitárias. 

O que dizem as empresas de ônibus

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (Setra-BH) informou que encaminhou às empresas novas orientações diante da pandemia do coronavírus. 

A partir desta quinta (19), "as empresas que operam linhas nas Estações de Integração BHBus (Barreiro, Diamante, São Gabriel, Vilarinho, Venda Nova e Pampulha) vão realizar higienização interna adicional dos veículos nos pontos de embarque dessas estações. O foco são os locais de maior contato de clientes, como balaústres (pega-mãos), assentos e janelas".

Essa higienização deve acontecer, segundo o comunicado da entidade, durante a manhã e à tarde, fora dos horários de pico. 

Leia mais:
China anuncia que não registrou, pela 1ª vez, novas infecções locais
Especialistas afirmam ser impossível parar todos os serviços em uma cidade
Shows cancelados deixarão produtores sem receita por até seis meses