O Acidente Vascular Cerebral (AVC), popularmente conhecido como derrame, é uma das principais causas de morte e de sequelas no mundo e no Brasil. Por isso, a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda a adoção de medidas urgentes para a prevenção e tratamento da doença.

No Brasil, são registradas cerca de 68 mil mortes por AVC anualmente. A doença representa a primeira causa de morte e incapacidade no país, o que gera grande impacto econômico e social. 

Segundo o coordenador de neurocirurgia do Hospital da Unimed-BH, Jair Raso, há dois tipos de AVC, o isquêmico e hemorrágico. "O AVC isquêmico é o mais comum e ocorre quando há interrupção do fluxo sanguíneo em algum local do cérebro, o que impossibilita que o sangue chegue a esta área. O AVC hemorrágico é provocado pela ruptura de um vaso intracraniano, aneurisma ou outras malformações.”, explica.
 
De acordo com o especialista, a identificação dos primeiros sintomas do AVC é essencial para evitar possíveis sequelas e a mortalidade. “É muito importante que população tenha atenção e saiba identificar os primeiros sinais de um AVC. Se o indivíduo apresentar fraqueza, dormência ou paralisia de um lado do corpo, dificuldades na fala ou compreensão do discurso e perda momentânea de visão, ele deve ser direcionado para o serviço de emergência. Quanto mais rápido for o atendimento, mais chances o paciente tem de sobreviver e não ter sequelas”.

Veja abaixo dez dicas do neurologista do Hospital Angelina Caron, Eduardo Hummelgen, para evitar um AVC:
 
1 - Hipertensão
Entre as maneiras para controlar a pressão arterial está a redução no consumo de sal, o hábito de consumir vegetais, verificar a pressão regularmente e, se for hipertenso, utilizar os medicamentos conforme a recomendação médica. 

2 - Inatividade física
Para praticar exercícios e acabar com o sedentarismo escolha uma atividade que lhe dê prazer, elabore uma programação semanal que motive, busque orientação profissional e persista. Se precisar, pense em formar grupos para a prática de exercícios.

3 - Colesterol alto
Para lutar contra o LDL e outros tipos do colesterol ruim, maneire nos alimentos com muita gordura ou açúcar, faça check-ups todos os anos para monitorar o colesterol e siga as orientações médicas. Dê uma folga para o bacon e aquele café com açúcar que mais parece um melado.

4 - Dieta desequilibrada
Pode até ser repetitivo, mas é uma verdade do bem. Metade do prato durante o almoço precisa ser colorida com o verde, laranja, amarelo, roxo e vermelho dos vegetais e legumes. Repensar a quantidade consumida de carne vermelha e processada, gordura trans, sódio e bebidas com muito açúcar também é importante.

5 - Obesidade
Os quilos extras estão sempre acompanhados de outros problemas como hipertensão, colesterol alto e diabetes. Só aí já vimos outros dois fatores de risco para um AVC. Então, se estiver acima do peso, que tal pensar em emagrecer? Vale pedir ajuda para um especialista.

6 - Tabagismo
Fumar é um dos dez principais fatores de riscos para um AVC. Se for mulher e tomar anticoncepcional o risco é aumentado.

7 - Diabetes
O risco de um AVC em diabéticos pode ser de até duas vezes e meia maior que em pessoas sem a doença. Então, diminua o consumo de doces e carboidratos, mantenha a glicose dentro dos limites e, se for diabético, monitore a glicemia. Independentemente de casos de diabetes na família, busque o acompanhamento médico para monitorar qualquer alteração ou sinal da doença. Melhor prevenir.

8 - Estresse
Tensão no cotidiano, pressão na vida pessoal e profissional, cobranças internas, entre outras coisas. Tudo contribui para o aumento do nível de estresse. Mas, como outros fatores, esse também depende de cada um. Busque reservar um horário na sua agenda para fazer coisas que deem prazer e alegria. 

9 - Doenças cardíacas
Problemas relacionados com o coração podem ser apurados e monitorados com o acompanhamento de um cardiologista. Procure um especialista para um check-up anual após os 40 anos.

10 - Álcool
O consumo de bebidas alcóolicas em pequenas quantidades diárias não é considerado um problema. No entanto, o consumo regular e exagerado de álcool é fator de risco para o AVC.

*Com Portal Brasil