O efetivo da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) conta com um reforço de mais 1600 policiais dos setores administrativos e também da escola de formação para fiscalizar e garantir o cumprimento das medidas impostas pela Onda Roxa do programa Minas Consciente, do governo do Estado, em Belo Horizonte e na região metropolitana. No total, quase 40 mil homens em todo Estado vão estar nas ruas das cidades.  

A porta-voz da PMMG, Capitão Layla Brunnela, explica que a fiscalização em relação a restrição da circulação das pessoas entre 20h e 5h, que, segundo ela não é toque de recolher, mas isolamento domiciliar, será feita, principalmente, por meio de blitz e que a primeira abordagem será educativa, mas se houver reincidência, o cidadão pode ser levado para a delegacia e ser preso por 1 mês até 1 ano, segundo o Artigo 268 do Código Penal, além de pagar multa judicial.

A Capitão Layla Brunnela explica ainda que a competência das prefeituras municipais é definir as medidas restritivas e sanitárias, a da Polícia Militar é fazer cumprir essas medidas e a Guarda Municipal aplica as medidas administrativas, com recolhimento de alvarás, “a PM e a Guarda Municipal têm o papel fiscalizador e o que houve foi uma ampliação da nossa atuação”.   

 Acompanhe a entrevista na íntegra:

Leia Mais:
Idosos de 77 anos começam a ser vacinados contra a Covid-19 nesta quinta-feira em BH
BH só tem vaga de UTI no SUS, e oxigênio é problema no interior
BH tem ruas com movimento reduzido em primeira noite do toque de recolher; confira o antes e depois