Nas próximas terça (20) e quarta-feira (21) acontece a 2ª Para do Orgulho LGBT+ da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que comemora os 50 anos da Revolta de Stonewall, em Nova York, evento que desencadeou o atual movimento de luta por direitos e igualdades destas comunidades. Buscando dar mais visibilidade para estas minorias, o evento terá, além da passeata, shows, rodas de conversa e exposição artística. 

Segundo a instituição, a concentração do evento começa às 10h, com rodas de conversa que acontecerão no CAD 1, no Campus da Pampulha, e, também, na Faculdade de Direito. Já às 12h30 acontecerão shows com Clara Tannure, Sanja e Teci, além da exposição "Negras Lágrimas", tudo na praça de Serviços, na Pampulha. 

Já a parada terá início às 13h30, saindo do espaço entre os prédios da Face e do ICEx. Gustavo Ribeiro, um dos organizadores do evento, explica que o objetivo do evento é “dar visibilidade à existência e à produção acadêmica e científica sobre a questão LGBT. A ideia é que a parada estimule discussões para encontrar saídas para o atual contexto de violência e preconceito”, afirma o estudante, que cursa o 8º período de Direito na UFMG.

A primeira edição da Parada foi em 2017, porém, no ano passado, o evento não aconteceu por conta das mobilizações do período eleitoral. Para a organização, o intervalo maior acabou sendo benéfico. “Abrimos edital público para que as pessoas fizessem sugestões de atividades. Das 22 propostas recebidas, 15 foram aceitas. Além disso, passamos a realizar as atividades em dois dias, e não em uma semana inteira, como ocorreu na edição anterior", detalha Ribeiro.

Já a programação da quarta-feira inclui discussões sobre autoestima LGBT e impactos psicológicos, criminalização da LGBTfobia e LGBTIfobia nos esportes, entre outras atividades. A programação completa pode ser acessada AQUI. 

Leia mais:
Pesquisa feita durante Parada de BH mostra que 58,5% do público já sofreu LGBTfobia
Mês do Orgulho LGBT: Sete canais no YouTube para debater a diversidade
Daniela Mercury: 'Não é uma escolha! Somos porque somos'