Após conquistar 70 milhões de usuários em todo o mundo em uma década de existência, amanhã é o dia de se despedir, oficialmente, do Orkut. A desativação da página da internet, anunciada pelo Google em junho, era rumo já previsto desde a debandada de internautas para outros sites de relacionamentos. Mas mesmo sem sucesso, ainda há quem guarde boas recordações dos laços de amizade e encontros imprevisíveis proporcionados pela primeira rede social dos brasileiros.

Para a estudante de enfermagem Mayara Reis, o Orkut será lembrando por ter “apresentado” a ela o empresário Thiago Vinte, com quem é casada há um ano. Uma história inusitada para quem duvidava que amizades – quanto mais um amor – poderiam surgir via web.

A paquera começou em 2007, quando ele adicionou Mayara entre os contatos, logo depois de ver uma foto em que a garota, até então desconhecida, aparecia no álbum de uma amiga em comum. Essa, aliás, também era conhecida por ambos apenas no mundo online.

De trocas de scraps, o contato evoluiu para bate-papos pelo MSN Messenger. Vez ou outra, lembra o casal, o assunto rendia até a madrugada. Mas, frustrando as expectativas de Thiago, pouco depois Mayara começou a namorar outro rapaz. Ressentido, ele fez o mesmo: engatou um romance.

“Um ano depois, quando nós dois já tínhamos dado um fim a esses relacionamentos, voltamos a nos esbarrar pela internet”, recorda a estudante. Dessa vez, os encontros não foram apenas virtuais. Em 2009, eles começaram a namorar e, quatro anos depois, subiram ao altar para selar o amor que, para espanto de muitos, só se iniciou graças ao Orkut.

“A rede social nos uniu. Sem aquela foto, não teríamos sequer nos conhecido”.

A primeira rede social a atrair tantos brasileiros também foi responsável por fazer o design de interiores Edson Lopes se tornar querido em todo o país. Vidrado em assuntos sobre reformas de casas, criou o Sem Mistério que, no auge do Orkut, chegou a ter 15 mil membros.

Não foi possível criar vínculo com tanta gente, como era de se imaginar. No entanto, ele não negava ajuda a quem entrava na comunidade em busca de orientação. “Comecei a fazer projetos para várias pessoas e publicava os desenhos nos tópicos. Tudo de graça, afinal, se estavam pedindo dicas na internet, é porque não podiam pagar por um profissional”.

Tanto tempo dedicado aos “clientes” virtuais foi retribuído. Uma vez, próximo ao aniversário dele, os internautas fizeram uma vaquinha e lhe deram de
presente um cartão-presente de uma loja especializada em artigos de casa. “Era um valor bem alto, e ainda recebi por Correio um livrinho com a foto dos projetos
que havia feito para eles pela internet. Um carinho sem tamanho, que jamais imaginei receber de pessoas que, mesmo desconhecidas, eram bem próximas de mim”.

Não é o fim do site que fará o design perder os laços construídos nesse tempo. O grupo migrou para o Facebook e Edson ainda mantém contato com os amigos do Orkut.

Amizade, parceria e nova profissão

Mais do que amizades, a conta no Orkut rendeu à psicóloga e blogueira Isabel Ornelas uma parceria e, de quebra, uma nova profissão. “Tudo começou em 2009,quando comecei a organizar meu casamento. Na época, entrei na comunidade Cantinho das Noivas de Minas, que reunia todo tipo de informação sobre o tema”.

No troca-troca de informações nos tópicos do grupo, acabou se aproximando da também psicóloga Myriam Kavan, bem como de outras noivas. Faziam
encontros regulares, trocavam presentes de amigo-oculto e chegaram a ir na cerimônia e festa uma das outras.

Passada essa fase, Isabel e Myriam se uniram por um propósito em comum: aproveitar todo conhecimento acumulado sobre casamento – como as dicas da
comunidade do Orkut – para criar o blog Casando em BH. O sonho saiu do papel em 2011. Hoje, o site recebe cerca de 4 mil acessos diários, exigindo dedicação das duas amigas em tempo integral.