Antes de viajar, check-up de saúde. Essa é a principal dica para quem quer diminuir os riscos de ver o merecido período de descanso ser interrompido. Por isso, exames de rotina podem ser necessários e os cartões de vacinas devem estar sempre atualizados. 

E não para aí. De acordo com Cássio Jabour Francisco, médico do serviço de check-up do laboratório Hermes Pardini, há outras dicas para que suas férias não sejam interrompidas por problemas preveníveis. Veja:

1. Prévia avaliação médica
Viajar significa sair da rotina e conhecer cultura, alimentação e clima diferentes. A avaliação é composta pelo porte da medicação de uso constante e pela detecção da necessidade de realização de exames laboratoriais e de imagem.

2. Receita atualizada
Além de portar o remédio de uso constante, diabéticos, cardiopatas, hipertensos e até obesos devem manter o uso de suas medicações independentemente do destino e carregar consigo a receita atualizada desse item.

3. Vacinas em dia
Viajar o mundo possibilita a troca de conhecimentos e de... germes. Assim, ressurgem sarampo, caxumba e coqueluche. Para evitar problemas, o calendário vacinal precisa estar em dia. 

Atualmente, a imunização básica é composta por sarampo, caxumba, rubéola, difteria, tétano, coqueluche, poliomielite, hepatites A e B, além das  meningocócicas B e ACWY e daquelas recomendadas para regiões específicas, como febre tifóide, cólera, encefalite japonesa, raiva. 
 
4. Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia
Alguns países da África, Ásia e América Central exigem um documento que comprova que o viajante foi vacinado contra a febre amarela. As embaixadas e o site da Organização Mundial de Saúde informam sobre quais países exigem tal protocolo. 

Meca, na Arábia Saudita, é um das regiões que exige a vacina para meningite ACWY, encontrada apenas em clínicas privadas e exigida em regiões e épocas específicas em alguns países.

5. Alimentação prudente
A falta de costume com o modo de preparo e os condimentos locais usados pode gerar desde um desconforto digestivo e até intoxicações. Além disso, uma importante orientação é dar preferência a alimentos adequadamente embalados, dentro do prazo de validade, ao invés dos vendidos a granel. 

Outra boa dica é observar a aparência, cheiro e composição do produto. Em caso de desconfiança, evite pratos com ovos, maionese e outros cremes, carne mal passada, saladas cruas, frutos do mar. Esses cuidados permitem a prevenção a infecções causadas por bactérias, vírus e fungos.