O período de volta às aulas está se aproximando e, dentre várias atribuições, os responsáveis pelos alunos devem se preocupar em como os filhos vão chegar à escola. O transporte escolar é uma excelente alternativa para facilitar a vida dos pais e estudantes, além de aliviar o trânsito principalmente nos horários de pico.

Antes de contratar o serviço, porém, alguns cuidados devem ser observados para garantir a segurança dos pequenos. Afinal, somente a faixa amarela com a palavra “Escolar” não é garantia de transporte legal.

Para ajudar os pais, o Sindicato do Comércio Varejista de Automóveis e Acessórios (Sincopeças BH) e a BHTrans listaram os principais itens que devem ser checados. Em caso de irregularidade, o usuário deve denunciar pelo telefone 156.

1. Verifique se há o selo de vistoriado, emitido pela BHTrans, no para-brisa. Ele é a prova de que o veículo passou por uma supervisão; 

2. A criança com até 1 ano de idade deve ser transportada em bebê-conforto. Aquelas que têm entre 1 e 4 anos, na cadeirinha;

3. Motoristas do transporte escolar devem portar o Registro de Condutor (crachá de identificação) da BHTrans; 

4. Confirme se o serviço oferece um acompanhante (ou monitor). A presença desse profissional é obrigatória para veículos com capacidade superior a 20 lugares.

5. O número inscrito no selo é o mesmo da Autorização de Tráfego (documento de porte obrigatório do condutor do escolar). Você pode, inclusive, exigir uma cópia para controle da última e da próxima vistoria.

6. É obrigatório que o prestador de serviço de transporte escolar firme um contrato com os pais ou responsáveis pela criança.

7. O cinto de segurança protege em caso de acidentes e deve ser usado sempre. A lei não permite que crianças sejam transportadas no colo.

Confira neste link as linhas escolares cadastradas por escolas em BH. Neste outro link é possível consultar os valores sugeridos pela empresa responsável por gerenciar o tráfego na capital.